A primeira vez que fui na Brasil Game Show (BGS)

sábado, 20 de outubro de 2018


Foi totalmente por acaso que fiquei sabendo que a BGS abriu inscrição para credenciamento de imprensa, daí eu resolvi me inscrever como quem não quer nada, só pra ver no que iria dar. Para ser sincera, games nunca foi a minha área, não sou nenhuma grande fã ou “conhecedora” do assunto, costumo jogar pouca coisa, e também nunca falei sobre games aqui no blog, então eu tinha certeza que não seria aprovada, só pensei que seria bom passar por essa experiência nova e documentar tudo aqui no blog. Agora, imagina a minha surpresa quando recebi e-mail dizendo que fui sim aceita. Fiquei muito feliz pela oportunidade de abrir meu leque e explorar e conhecer coisas totalmente novas para mim, mal estava acreditando, haha.

Para quem não sabe (assim como eu também não sabia), a Brasil Game Show (ou BGS) é a maior feira de games da América Latina. Surgiu em 2009 no Rio de Janeiro, mas a partir de 2013 ela passou a ser realizada apenas em São Paulo.

Ela reúne as principais empresas do setor de games, anunciando novidades e jogos ainda nem lançados, e o público pode conferir em primeira mão o que vem por aí. Também são realizados campeonatos, concurso de cosplays, a presença de grandes personalidades do mundo dos games que os fãs podem conhecer pessoalmente, etc.


Eu fui pela primeira vez na vida agora em 2018, na 11ª edição. Acontece sempre no Expo Center Norte e utilizei o ônibus gratuito que a BGS disponibiliza para o público que vai no evento, partindo sempre do Terminal Rodoviário Tietê.

Foram cinco dias de evento, de 10 a 14/10, o primeiro dia era só para VIPs e Imprensa, daí claro que eu não pude deixar passar a oportunidade de conhecer a BGS com mais calma no primeiro dia que seria um pouco mais vazio. No total fui nos dias 10/10 (quarta-feira), 12/10 (sexta-feira) e 13/10 (sábado).

O evento estava bem lotado mesmo, principalmente no dia 13/10, que foi um sábado e teve todos os ingressos esgotados. Por vezes era difícil andar por lá, de tão abarrotado que estava, e muitas vezes tinha fila para tudo, algumas rápidas e outras demoradas, para quem queria conhecer os jogos, mas com relação a isso já estou acostumada, esses eventos de grande público são assim mesmo, o que demonstra o grande sucesso.


Achei o evento bem menor comparado com a Bienal do Livro, em um único dia você já conseguia visitar e conhecer todos os estandes se olhasse bem e não parasse, o que deve ser algo talvez proposital e já pensado mesmo, afinal não é todo mundo que consegue ir em mais de um dia do evento.

Vários dos jogos que tinha lá eu só tinha ouvido falar e conhecia mais ou menos, não sou a maior fã do mundo para jogar, porém adoro ver os outros jogando, me divirto bastante com isso, e foi o que eu fiz em vários momentos, sentei em algum lugar nas estações de games dos estantes e ficava só vendo as pessoas jogando, hehe.


Uma coisa que está em alta e que tinha bastante no evento, em toda parte, vários estandes, eram os Funko Pop. Se procurasse bem até que tinha alguns com preço razoável e que estava valendo a pena, uma pena que não comprei nada, mas queria. Ainda sonho em ter na minha estante de livros o Harry, Rony e Hermione.

Mas uma coisa que eu curti demais no evento foi ter visto o Leon e a Nilce pessoalmente pela primeira vez na vida lá no evento. Para quem não sabe, eles são dos canais Coisa de Nerd e Cadê a chave? do qual sou muito fã, não perco um só vídeo, adoro eles dois e já me programei para vê-los lá na BGS, quando eles anunciaram que iriam. Infelizmente só consegui ver de longe mesmo, não rolou nem foto (acho que eu teria chorado e desmaiado se tivesse chegado perto deles hahaha), mas quem sabe um dia.


Também tinha praça de alimentação lá no evento, os preços como sempre não lá muito baratos, mas já aceitei esse fato. Achei um cachorro-quente maravilhoso numa das barraquinhas que foi a minha salvação em todos os dias que fui.

Confesso que o que mais me tentou mesmo foram os palcos onde o pessoal jogava Just Dance 2018 e 2019, sempre curti bastante, apesar de não ser nenhuma dançarina profissional, haha. Me faltou coragem para arriscar de subir no palco e pagar mico na frente de um monte de gente, mesmo que eu não ligasse tanto, afinal é só pra se divertir mesmo, mas quem sabe no próximo evento. Mesmo assim eu prestei atenção nas músicas e curti várias, já estou decidida a comprar o jogo sim para dançar aqui em casa.


Enfim, foi uma experiência nova e muito incrível para mim. Eu sabia que games sempre teve um público estrondoso, mas ver isso com meus próprios olhos, estar lá para ver e sentir a empolgação das pessoas em conhecer jogos novos, foi surreal e inesquecível. Quero muito repetir essa experiência e quem sabe conhecer algo que eu me identifique também.

Espero que tenham gostado e se animado para ir também na próxima BGS 2019!

Como foi na Bienal do Livro SP 2018

quarta-feira, 15 de agosto de 2018


Como já é tradição, mais uma vez eu fui à Bienal do Livro porque esse ano aconteceu em São Paulo que é só quando dá pra eu ir. O evento acontece sempre no Pavilhão de Exposições do Anhembi. De novo consegui credencial de imprensa por conta do blog, o que sempre me ajuda horrores, é uma mão na roda.

Dessa vez teve uma mudança, a Bienal aconteceu um pouquinho mais cedo do que o costume. Antes ela costumava acontecer no final de agosto ou começo de setembro, mas dessa vez ela aconteceu no começo de agosto, de 03 a 12 de agosto, depois do pagamento, ou seja, assim as pessoas teriam dinheiro para comprar livros mais à vontade.

E dessa vez eu consegui ir em apenas dois dias no evento, nos dias 04/08 (sábado) e 10/08 (sexta-feira), uma pena, queria ter ido em mais dias, mas mesmo assim deu para aproveitar e curtir bastante.

Como já é meu costume, eu preparei meu kit de sobrevivência para a Bienal, que foram desde usar roupas confortáveis para andar bastante e também sentar no chão (tênis no pé sempre), passando por levar comida de casa já que as comidas lá são bem caras (sempre levo um lanche de frios, salgadinho, bolinho, suco e água), até ter em mãos a minha própria lista com livros que eu queria muito comprar (analisei antes o preço dos livros na internet e fiquei de olho se na Bienal estaria valendo mais a pena ou não).



O tema desse ano foi “Venha fazer esse download de conhecimento”, levando em conta as tecnologias que são bastante usadas e estão no dia-a-dia de todos. Fernanda Gomes Garcia, diretora executiva da Câmara Brasileira do Livro (CBL) e organizadora do evento, afirma: “Queremos mostrar que o livro é a principal fonte de conhecimento das pessoas e continua sendo importante, principalmente nesse mundo conectado”.

Ao todo tiveram 14 espaços voltados à literatura para o público e mais de 1500 horas de programação voltada aos apaixonados por livros, tecnologia, culinária, bate-papo, dentre outros.

E, como sempre, fui e voltei do evento tranquilamente utilizando o ônibus gratuito que a Bienal disponibiliza para o público a partir da estação Tietê (linha 1 azul) do metrô.

03/08 (sábado)


Acabei atrasando um pouco e cheguei na Bienal só 12h pra descobrir que as senhas para pegar autógrafo com a Carina Rissi às 13h tinham acabado. Fiquei bem triste, não era possível, eu estava carregando na minha mochila os livros Prometida e Quando a noite cai, queria que ela autografasse porque não queria trazer esses livros de novo outro dia, afinal pesam pra ficar carregando por aí. Daí ouvi falar que talvez ela ainda atenderia o pessoal que ficou sem senha no final, o que seria por volta das 15h, então resolvi ir passear pela Bienal e voltar lá depois esse horário pra ver se rolaria.

Passei pela Bienal, é um evento gigantesco mesmo, você se cansa de tanto andar e ainda não consegue ver tudo, às vezes é necessário ir em mais dias para conseguir visitar todos os lugares do evento. Eu pulava de um estande para outro, me encantando com todas as novidades, admirando aqueles estandes tão lindos, de olho nos preços que compensavam, e perdia a total noção de tempo, mergulhada naquele universo maravilhoso dos livros.

Voltei lá na sessão de autógrafos da Carina Rissi e vi que ela já estava no finalzinho, então fiquei por lá e esperei. Finalmente deixaram ela atender as pessoas que não tinham conseguido senha, eu entre elas, e foi assim que eu fiquei em êxtase quando ela autografou meus dois livros e pude tirar uma foto com ela, você pode ver a foto AQUI. Fiquei extremamente feliz, agora tenho autografado Perdida, Encontrada, Destinado, Prometida, Procura-se um marido e Quando a noite cai. Os outros livros dela ainda preciso comprar pra ela autografar também, será mais oportunidade de revê-la nas próximas bienais.


Depois disso eu corri para a Arena Cultural, estava rolando bate-papo com o Maurício de Sousa e o Ziraldo, dois autores que amo muito, mas infelizmente perdi, cheguei só no finalzinho, quando eles já estavam se despedindo pra ir embora. Uma pena. Eu tenho uma história em quadrinhos de capa dura do Ziraldo que quero muito que ele autografe algum dia. E não tenho nada do Maurício de Sousa pra ele autografar, preciso providenciar.


Fui comer alguma coisa e continuei andando pela Bienal. Esse ano rolou na Bienal o Encontro com Fãs. Todos os dias, às 20h, rolaria na Arena Cultural um encontro para conversar sobre algum tema específico entre fãs. Nesse dia rolou o Encontro de Fãs e Escritores de Romances Contemporâneos e Hot com as escritoras Nana Pauvolih, A.C. Meyer, Janice Diniz, Josy Stoque, Mila Wander, Janaína Rico, Samanta Holtz, Bianca Briones, Fernanda França, Leila Rego e Lola Salgado.

Confesso que já não ando mais tanto na vibe de ler esses romances. Eu ainda curto muito, por isso que fui nesse bate-papo, mas já não sou mais tão viciada como era antigamente, dei uma moderada. Mas gostei bastante do encontro, as autoras são bem divertidas e engraçadas, falaram sobre a dificuldade de viver de livros apenas, do preconceito que existe de romances hot, seus próximos lançamentos etc.

Quando acabou eu já fui embora.

10/08 (sexta-feira)


Cheguei na Bienal às 12h e já corri para a Arena Cultural porque rolaria bate-papo com a Babi Dewet, Carol Christo, Melina Souza, Pam Gonçalves e Maurício de Sousa às 13h30 e eu sabia que iria encher bastante. Dito e feito, mas surpreendentemente, por ter entrado na fila logo cedo, consegui um dos melhores lugares, um puff bem no meio e na frente, sucesso!

Começou e foi bem divertido e descontraído. Falaram do livro Uma Viagem Inesperada que lançaram no ano passado, na Bienal do Rio, mas fizeram também esse lançamento na Bienal de São Paulo, achei bem legal pra poder ver todas elas reunidas mais uma vez junto com o Maurício. Até mesmo a Denise esteve presente, personagem do Maurício. E eu, particularmente, curto bastante não só o Maurício, mas também a Mel e a Pam que conheço e acompanho há muitos anos, já as outras ainda não cheguei a conhecer muito, mas quero.


Depois que acabou fui de novo passear pela Bienal. Fui atrás de outro autor que fez parte da minha pré-adolescência e que admiro muito, o Pedro Bandeira. Eu tinha comigo um livro antigo dele que curto demais, A Marca de uma Lágrima, que é muito especial pra mim e queria que ele autografasse. Entrei na fila e consegui, ele foi extremamente simpático, me recebeu com um grande sorriso e um abraço, autografou meu livro e eu dizendo pra ele o quanto adorava aquele livro e adorava ele, ele ficou bem feliz, tiramos foto juntos, você também confere AQUI.

Em casa, quando fui colocar esse livro na estante, descobri que eu também tinha outro livro dele que eu gostava muito, Mariana, fiquei chocada por ter me esquecido de levar esse outro livro também, mas não tem problema, é mais uma desculpa pra ir atrás dele na próxima bienal e revê-lo, haha.


Quando deu 20h, fui de novo na Arena Cultural porque rolaria o Encontro de Fãs: Harry Potter Através dos Tempos – Uma Viagem pela Saga que há 21 Anos Encanta Gerações, com as presenças de Thiego Novais (Observatório Potter), Caco Cardassi (Caldeirão Furado), Renie Santos (O Expresso de Hogwarts), Leonardo Santi (Patrono Net) e Pedro Martins (Potterish).

Cheguei no horário porque não achava que teria tanta gente, que engano o meu, o lugar lotou como nunca antes, ficou abarrotado, a fila que dava voltas e mais voltas só pra entrar, fiquei chocada com o tamanho sucesso daquilo, vários fãs de Harry Potter mesmo. Consegui entrar, mas sentei num cantinho no chão. Não foi o lugar mais confortável do mundo, mas dava sim pra assistir de boas.

Eles falaram sobre seus respectivos canais no Youtube sobre Harry Potter, sobre o amor por essa saga de tantos anos, como aquilo virou o trabalho deles, falaram sobre os novos filmes de Animais Fantásticos, sortearam coisas etc. Foi bem bacana, mais uma vez saí tarde da Bienal e fui embora.


Queria ter voltado na Bienal no domingo que era o último dia do evento e é quando os livros normalmente estão com o preço mais baixo de todos, mas não deu pra mim, infelizmente. Mesmo assim consegui comprar dois livros na Bienal, A Dança dos Dragões, do George R.R. Martin (paguei 20 reais) e O menino do pijama listrado, do John Boyne (paguei 10 reais), garimpando os dois naqueles estandes de livros baratos.

Como sempre foi uma experiência incrível visitar a Bienal do Livro, nunca vou me cansar de ler, de amar livros, daquele lugar que me faz tão bem e feliz. Já estou ansiosa pelas próximas!


Obs:

Espero que tenham gostado e até a próxima Bienal do Livro SP em 2020!


Minha programação para a Bienal do Livro SP 2018

quinta-feira, 5 de julho de 2018


Hoje saiu oficialmente a Programação da Bienal do Livro SP 2018 e eu já corri para dar uma olhada para decidir quais atrações/palestras eu quero assistir para poder ver quais dias irei.

Ficou decidido então o seguinte:

04/08 (sábado):
 Palestra com o Ziraldo e o Maurício de Sousa na Arena Cultural às 15:00h.

 Palestra com João Alegria (gerente geral do Canal Futura) e Marcos Mendonça (presidente da TV Cultura) no Espaço do Saber às 18:00h.

 Encontro de Fãs e Escritores de Romances Contemporâneos e Hot às 20:00h.

05/08 (domingo):
 Palestra com AKA Poeta, Pedro Gabriel e Carpinejar no Salão de Ideias às 11:00h.

 Bate-papo com Diego Badaró e Luiza Olivetto, com o tema Floresta, cacau e chocolate, no Cozinhando com Palavras às 14:00h.

 Palestra com Carina Rissi, Laura Conrado e Ana Beatriz Brandão na Arena Cultural às 16:00h.

 Encontro de Fãs: Concurso de Cosplay às 20:00h.

10/08 (sexta-feira):
 Palestra com Babi Dewet, Carol Christo, Melina Souza, Pam Gonçalves e Maurício de Sousa na Arena Cultural às 13:30h.

 Encontro de Fãs: Harry Potter Através dos Tempos – Uma Viagem pela Saga que há 21 Anos Encanta Gerações, às 20:00h.
Esse com a presença de Thiego Novais (Observatório Potter), Caco Cardassi (Caldeirão Furado), Renie Santos (O Expresso de Hogwarts), Leonardo Santi (Patrono Net) e Pedro Martins (Potterish).

OBS: No Espaço do Saber, terá a Equipe Microsoft a cada hora e eu pretendo passar lá para conhecer sim!


Por enquanto foram esses dias que eu estipulei que iria, mas se eu decidir ir em mais dias, volto para atualizar esse post contando.

Já estou muito empolgada e mal vejo a hora do evento chegar logo. Vou tirar muitas fotos, pegar autógrafos, andar muito até cansar, conhecer gente nova, e principalmente me divertir muito.

Para quem quiser ter uma ideia de como foram as duas últimas Bienais que aconteceram em São Paulo (e que eu fui), eu fiz posts contando aqui:
- Bienal de 2014: Como foi
- Bienal de 2016: Parte 1, Parte 2, Parte 3

25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
Local: Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana – São Paulo/SP
Dias e Horários: 03 à 12 de agosto de 2018. De segunda à sexta das 09:00h às 22:00h e sábado e domingo das 10:00h às 22:00h.
Ingressos: De segunda à quinta: Inteira R$ 20,00 e Meia R$ 10,00 / Sexta, sábado e domingo: Inteira R$ 25,00 e Meia R$ 12,50

Quem mais vai e está tão empolgado quanto eu?

Livro de Memórias na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo

quarta-feira, 20 de junho de 2018


Olha só quem está de volta para anunciar, mais uma vez, a sua ida para mais uma Bienal do Livro: euzinha mesmo! Desde 2012 que eu vou para todas as bienais que acontecem em São Paulo e documento tudo aqui no blog, e esse ano não seria diferente.

Esse ano a 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo vai ocorrer um pouco mais cedo do que o de costume, não vai ser mais para o final de agosto ou começo de setembro. Fique atento: Ela começa no dia 03/08 (sexta-feira) e só termina no dia 12/08 (domingo), no Pavilhão do Anhembi.

A programação oficial ainda não saiu, mas assim que sair e eu decidir em quais dias eu irei, prometo que volto para contar tudo aqui no blog.

Passam-se anos e eu nunca me canso, muito pelo contrário, eu fico muito empolgada quando é ano da Bienal acontecer em São Paulo, e mais ainda conforme o dia vai se aproximando. Adoro assistir palestras dos meus autores favoritos, participar dos bate-papos, pegar autógrafos, visitar os estandes das minhas editoras favoritas e conhecer várias outras novas, adquirir livros que estou há muito tempo querendo etc.

Enfim, o post é curtinho porque eu ainda estou me organizando, decidindo quais dias irei e de quais atividades participarei, mas assim que estiver tudo certo, volto aqui para contar. Por enquanto esse post foi só para anunciar e reforçar o que já acontece sempre a cada dois anos: minha ida para a Bienal. Eu só não costumo ir para a Bienal do Rio porque não tenho condições de ir para lá, mas claro que vontade não me falta, nessas ocasiões eu só fico aqui acompanhando as notícias que saem sobre como está sendo o evento e passando vontade, hahaha.

Fiquem ligados!

25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
Local: Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana – São Paulo/SP
Dias e Horários: 03 à 12 de agosto de 2018. De segunda à sexta das 09:00h às 22:00h e sábado e domingo das 10:00h às 22:00h.
Ingressos: De segunda à quinta: Inteira R$ 20,00 e Meia R$ 10,00 / Sexta, sábado e domingo: Inteira R$ 25,00 e Meia R$ 12,50

Sobre começar a estudar por conta própria

quinta-feira, 15 de março de 2018


Como eu tinha dito nesse post AQUI, em 2018 eu decidi que iria voltar a estudar. Meu sonho era prestar Etec para entrar no curso de Produção de Áudio e Vídeo, e também prestar Fuvest para entrar na USP no curso de Biblioteconomia. Para isso, eu precisava realmente me dedicar aos estudos, relembrar várias coisas que vi no tempo da escola e ficar atualizada.

O problema é que já fazem quase 10 anos desde que me formei na escola, ou seja, já tem um tempão que eu não estudo, estava até perdida sem saber por onde começar e como começar. Eu sabia que iria estudar em casa mesmo por conta própria, não rolava pagar um cursinho presencial para mim, mas eu não sabia muito bem o que eu deveria fazer a partir daí.

Resolvi então entrar em alguns grupos de estudos no Facebook. São grupos onde várias pessoas também estão nesse processo de estudar para prestar vestibular, e o legal é que lá todos se ajudam e se apoiam nos estudos, compartilham suas experiências, dão dicas, tiram dúvidas, pedem ajuda etc. Achei isso fenomenal, estar em contato com pessoas que estão estudando me deu o ânimo que eu precisava para começar a estudar também.

Foi nesses grupos que eu fiquei sabendo de vários cursinhos online que existiam e quais as pessoas mais recomendavam, dependendo do que você busca. Bom, depois de ouvir várias opiniões e também levando em conta as minhas próprias dificuldades, por fim eu decidi que iria assinar o Descomplica para ver todas as matérias de forma geral e também assinaria o Ferretto porque sempre tive uma dificuldade monstra com matemática, estava precisando rever do zero mesmo, e me falaram que ele é ótimo nisso.

Claro que ainda existem muitos outros cursinhos bons que eu gostaria sim de assinar, para matérias específicas mesmo, mas eu não tinha certeza se eu sequer conseguiria dar conta de estudar tudo o que tinha que estudar, eu tinha medo de procrastinar e atrasar matéria, não me dedicar como deveria e, consequentemente, não aproveitar como deveria os cursinhos que eu estava pagando. Por isso optei apenas por esses dois em 2018 e vou avaliar como terei me saído no final do ano.

Se eu passar na faculdade, ótimo, mas se não passar, então pretendo estudar de novo no ano que vem, e assim sucessivamente até conseguir entrar, sem desistir. E nisso, eu avalio quais foram minhas maiores dificuldades para poder investir nisso no ano seguinte.

2018 está sendo meu primeiro ano de estudos, ainda estou um tanto que perdida pra pegar o ritmo das coisas, mas estou tentando. Para mim, não é nem um pouco fácil eu mesma me cobrar para estudar, sem um professor para fazer isso, não sou muito autodidata, facilmente procrastino, por isso está sendo um desafio e tanto.

Mas uma técnica que eu adotei é imaginar o que eu quero para a minha vida, como eu me imagino daqui para frente, o que eu quero alcançar a curto, médio e longo prazo. Eu traço um caminho com as coisas que eu preciso fazer para alcançar cada uma dessas metas e sigo. Por exemplo, se quero entrar na USP, então para isso eu preciso me dedicar muito aos estudos, e é o que eu já começo a fazer.

Além dos cursinhos online, eu também estou testando várias outras coisas que me recomendaram, como canais no Youtube de matérias específicas, aplicativos educativos, técnicas de concentração, montar um cronograma realista para mim sem deixar de estudar o que precisa em cada semana, seguir perfis no Instagram sobre estudos, etc. Eu posso voltar para recomendar coisas que eu testei e que deram certo para mim.

E de material, eu ainda tenho meu velho fichário, meu estojo com minhas canetas e até mesmo várias folhas de fichário que sobraram da época da escola (sim, quase 10 anos depois) que eu guardei por todo esse tempo. É o que eu estou usando pra estudar e tem dado certo para mim, sempre gostei mais de fichário do que de caderno para me organizar nos estudos.

Bom, e é aos trancos e barrancos que eu vou me adaptando aos poucos, no meu ritmo. Não é nem um pouco fácil, mas é o único caminho para conquistar o que eu tanto quero, o meu sonho, por isso é importante não desistir.

[Desafio dos 100 Filmes] 03. Um filme que passe na Sessão da Tarde

sábado, 20 de janeiro de 2018


A Lagoa Azul (1980)

Esse é o clássico dos clássicos. Quando penso em Sessão da Tarde, nos dias em que eu estava na casa da minha avó porque ela estava tomando conta de mim depois da escola porque meus pais estavam trabalhando, a primeira coisa que vem à minha mente é esse filme que foi tantas vezes reprisado.

Ele conta a história de duas crianças que, após um naufrágio, crescem juntas em uma ilha junto com um marinheiro que inicialmente toma conta deles, mas morre não muito tempo depois. O menino e a menina são obrigados a se virar sozinhos enquanto crescem, acabando por descobrirem juntos o amor.

Eu confesso que na época em que eu assistia quando era criança, assistia apenas por assistir, porque era só o que tinha no momento para fazer, não era a maior fã desse filme, mal entendia a história direito, só achava legalzinho. Foi um filme que fez bastante sucesso na época. Foi indicado ao Oscar de Melhor Fotografia e é uma refilmagem de um filme homônimo de 1949.

Metas para 2018

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018


Ano novo sempre me dá vontade de bolar metas novas para serem cumpridas ao longo do ano, seja de coisas totalmente novas ou coisas antigas que já tentei várias vezes anteriormente e ainda não rolou, mas que ainda não desisti de um dia conseguir cumprir. Eu sei que a gente não precisa esperar um ano novo começar para finalmente começar coisas novas, mas mesmo assim o início de janeiro sempre me dá um gás a mais, uma vontade de parar e traçar metas para a minha vida que estou a fim de cumprir.

No entanto, eu sempre fiquei um pouco receosa de traçar essas metas porque houve uma época em que elas não estavam me fazendo bem porque terminava o ano, eu via que não tinha conseguido cumprir tudo o que queria e ficava triste e frustrada com isso, tanto que parei completamente de fazer novas metas por alguns anos, só deixei a vida me levar sem expectativa nenhuma para não me decepcionar.

Mas hoje em dia, parando para pensar nisso tudo de forma mais abrangente e madura (espero), eu decidi fazer a seguinte coisa: vou sim traçar novas metas para o ano novo que se inicia, sempre gostei muito de fazer isso e não queria me privar disso por medo de não conseguir cumprir tudo, porém não vou colocar pressão nenhuma nisso, vou levando a vida e tentar sim correr atrás das metas, mas sem ficar neurótica com isso, apenas no meu tempo, na minha vontade. Se eu conseguir cumprir, ótimo, mas se não conseguir até o final do ano, tudo bem, sempre tem um ano novo para tentar de novo e de novo até conseguir (ou até eu perder o interesse e não querer mais, é possível, hehe).

Mas enfim, algumas metas são coisas tecnicamente fáceis e de lazer, coisas pequenas mesmo. Outras são um pouquinho mais difíceis e que vão necessitar um esforço a mais meu, dada a minha realidade, então vamos ver como vai ser:

LIVROS:
 Terminar de ler toda a série Desventuras em Série, do Lemony Snicket.
 Ler A Tormenta de Espadas, do George R.R. Martin.
 Ler os livros Prometida e Quando a noite cai, da Carina Rissi.
 Ler Harry Potter e a Criança Amaldiçoada.

FILMES:
 Assistir no mínimo 5 filmes por mês (desses cinco, pelo menos 1 deve ser inédito para mim).
 Assistir pelo menos 1 documentário por mês (devo finalizar o ano com pelo menos 12 documentários assistidos).

SÉRIES:
 Continuar em dia com as minhas séries.
 Começar a assistir séries históricas.

MÚSICA:
 Conhecer melhor o Spotify.
 Criar minhas playlist favoritas.

BLOG:
 Trocar o domínio do blog.
 Documentar no blog sobre a minha rotina de estudos.
 Fazer os posts sobre o meu TCC.
 Fazer o post de aniversário de 5 anos do blog.
 Ir na Bienal do Livro SP 2018 e documentar tudo no blog.

ESTUDOS:
 Criar uma rotina de estudos e estudar para valer através de cursinhos online.
 Entrar na Etec, no curso de Produção de Áudio e Vídeo.
 Prestar Etec.
 Prestar Enem.
 Prestar Fuvest.

ARRUMAÇÃO, ORGANIZAÇÃO E LIMPEZA:
 Arrumar o meu armário e as gavetas.
 Separar roupas que não uso mais para doação.
 Arrumar a bagunça dentro da minha cama box.
 Limpar o espelho do meu quarto.

ESTILO DE VIDA:
 Começar a fazer academia.
 Aprender a andar de patins.
 Aprender sobre finanças.
 Ser mais organizada.
 Beber mais água.

E é isso, vamos ver o que eu vou conseguir cumprir até o final do ano, e o que eu não conseguir, já vou tentar de novo no ano seguinte sem problema nenhum, até conseguir (ou eu não querer mais).


Theme Base por Erica Pires © 2013 | Livro de Memórias, por Renata Carvalho | Blog no ar desde 03.05.2013 | Versão 2.2 no ar desde 01.01.2014 | Topo