40 antes dos 40

12.4.21 Renata Carvalho 1 Comments


Inspirada pelo post A minha lista de 30 coisas para fazer até os 30 anos, resolvi fazer uma nova lista para a próxima década da minha vida: 40 coisas que quero fazer até os 40 anos.

São tanto coisas pequenas e simples, quanto coisas grandiosas e difíceis, mas nada impossível. A ideia é que a lista seja totalmente despretensiosa, ou seja, se eu conseguir realizar esses itens, ótimo, mas se não conseguir, não tem o menor problema, faz parte, também não dá pra ter tudo nessa vida, haha.

E como estamos falando de sonhos, desejos e metas para 10 anos, dos meus 30 até os 40 anos, é bem provável que aconteça dos meus sonhos mudarem ao longo da vida, afinal eu – assim como todo mundo – estou em constante mudança, exatamente como aconteceu em apenas cinco anos na minha lista de 30 antes dos 30.

Então vamos lá:

__________


1. Fazer faculdade de Biblioteconomia.
2. Fazer uma pós.
3. Fazer Etec de Produção de Áudio e Vídeo.
4. Prestar e passar num concurso público.
5. Investir na carreira de Personal Organizer.
6. Fazer um trabalho voluntário.
7. Completar 500 livros lidos no Skoob.
8. Fazer aulas de Pole Dance ou algum tipo de dança.
9. Fazer aulas de maquiagem.
10. Fazer um piquenique em algum parque.


11. Comprar o meu próprio apartamento.
12. Reformar esse apartamento.
13. Decorar esse apartamento.
14. Aprender a dirigir, tirar a minha carta e perder o medo de dirigir.
15. Comprar o meu próprio carro.
16. Comprar o meu próprio pc gamer.
17. Comprar uma câmera semiprofissional.
18. Ir a um show de um artista que eu gosto.
19. Ir num festival de música.
20. Ir na CCXP como imprensa.


21. Cortar o cabelo bem curto, fazer franja e platinar.
22. Depois de cortar, deixar meu cabelo crescer até a cintura.
23. Arrumar meus dentes: tirar os sisos, aparelho e clareamento.
24. Passar a me alimentar bem com a ajuda de uma nutricionista.
25. Passar a malhar com a ajuda de um personal trainer.
26. Fazer cirurgia no nariz.
27. Colocar silicone.
28. Ir a um spa.
29. Tomar banho numa jacuzzi.
30. Aprender a andar de patins.


31. Começar a fazer terapia.
32. Ser uma pessoa mais sociável.
33. Adotar dois gatos.
34. Ser independente financeiramente.
35. Andar de balão de ar quente.
36. Pular de asa delta e/ou paraquedas.
37. Viajar com os amigos.
38. Passar um final de semana em Campos do Jordão.
39. Viajar para todas as cinco regiões do Brasil.
40. Viajar para fora do Brasil.


Inspirada pelo post A minha lista de 30 coisas para fazer até os 30 anos , resolvi fazer uma nova lista para a próxima década da minha vida:...

1 comentários:

Série: Lost

5.4.21 Renata Carvalho 4 Comments



Gênero: Ação, Aventura, Drama, Ficção Científica | Duração: 40-48 minutos | Criação: Jeffrey Lieber, J.J. Abrams, Damon Lindelof | Baseado em: – | País de Origem: Estados Unidos | Emissora: ABC | Ano: 2004-2010 | Temporadas: 6 | Episódios: 121 | Status: Finalizado

__________

Resumo:


Lost se inicia quando o vôo 815 da Oceanic Airlines, saindo de Sydney e com destino a Los Angeles, cai em uma ilha no Oceano Pacífico. Os 48 sobreviventes devem trabalhar em conjunto para manterem-se vivos. Sobreviver significa resolver os diversos mistérios da ilha: um monstro de fumaça, ursos polares, um homem misterioso chamado Jacob e um grupo de pessoas que já estavam na ilha antes deles que eles chamam de “Os Outros”.

__________



Resenha:


Quando Lost estreou, eu tinha 14 anos e na época não tinha o costume de maratonar séries, no máximo assistia apenas um episódio ou outro de algumas séries que eu curtia e passava na televisão, totalmente sem compromisso. Mas isso tudo mudou quando conheci Lost.

Eu não me lembro exatamente de quando assisti um episódio dessa série pela primeira vez, eu só me lembro de ficar extremamente viciada, de assistir junto com meus pais e irmãs e nós todos ficarmos loucos querendo saber o que aconteceria a seguir ao final de cada episódio. Meu pai conseguia os episódios com uma amiga dele que gravava em fita VHS e emprestava pra gente assistir também. Era um verdadeiro vício na família.

Era bastante comum a gente ficar extremamente chocado com o que acontecia nos episódios, ficarmos presos àquilo sem nem piscar, aguardar ansiosamente a estreia de um novo episódio toda semana e principalmente bolar inúmeras teorias do que poderia acontecer. E quando uma série consegue te prender desse jeito é porque é sucesso absoluto!

Pode ser uma premissa comum essa de um avião cair em uma ilha deserta e os sobreviventes terem que se virar nessa ilha até chegar algum resgate ou eles arrumarem um meio de sair dali (A Lagoa Azul, O Náufrago, Robinson Cruzoé são só alguns exemplos parecidos). Mas o que diferencia Lost é que a natureza e a falta de comida e água não são as únicas dificuldades que os sobreviventes terão que lidar.



A ilha deserta aparentemente não é tão deserta assim, uma vez que, pouco a pouco, eles começam a descobrir que já existiam outras pessoas morando naquela ilha que eles chamam de “Os Outros” e que são hostis, já que sequestram alguns dos sobreviventes e quase matam outros. Além disso, existem também ursos polares numa ilha deserta, uma antiga organização chamada Dharma, escotilhas, dentre várias outras coisas. Não tem como não ficar intrigado com cada uma delas.

Cada um dos personagens também são muito bem aprofundados de modo que faz com que você se importe com eles, com suas histórias e seu passado cabuloso, que levou eles a serem o que são no momento em que caem na ilha, mas que a partir disso são obrigados a trabalhar juntos para sobreviverem, ou vão morrer sozinhos (palavras do Jack), e isso muda-os completamente, tornando-os pessoas melhores.

O final de Lost é bastante polêmico até hoje porque muita gente não gostou. Não sei se porque não entendeu o final ou então apenas porque não superou as expectativas que estavam altas. De qualquer forma, EU adorei e assistiria de novo e de novo para sempre sem me cansar de tão complexa e incrível que essa série é, cheia de detalhes e questões que te levam a refletir. Então independente do final, toda a jornada até ele foi espetacular pra todo mundo e isso é uma coisa a se levar em consideração e que faz ela valer muito a pena.

Já faz parte da minha lista de maiores e melhores séries que assisti na minha vida!



Gênero: Ação, Aventura, Drama, Ficção Científica | Duração: 40-48 minutos | Criação: Jeffrey Lieber, J.J. Abrams, Damon Lindelof | Basead...

4 comentários:

Bem-vindos Luke e Léia

29.3.21 Renata Carvalho 0 Comments



Já tenho uma super novidade pra contar: deu a louca aqui em casa e resolvemos adotar DOIS gatos bebês de uma vez só! Aconteceu então “A Ascensão Skywalker” nessa casa (haha) e chegaram o Luke e a Léia.

Os nomes são porque nós todos gostamos bastante de Star Wars, mas a minha mãe é viciada nessa saga a vida inteira, fã de carteirinha, e como queríamos adotar já um casal, deu super certo colocar esses nomes neles.

Luke

Como eu disse no post: Os pets que já tive na vida, aqui em casa nós sempre gostamos de ter uma dupla de gatos, um macho e uma fêmea, então depois que a Lylú faleceu em dezembro de 2020 (Lylú, para sempre no meu coração), era de se esperar que adotássemos uma gata fêmea agora, já que continuamos com o Garu que é macho e atualmente tem 11 anos.

Porém, a gente sabia que o Garu já está mais velho e não iria querer brincar com a gatinha nova, e o nossa vontade mesmo era os gatos crescerem juntos, brincarem juntos, fazerem companhia um para o outro o tempo todo. Mas com certeza o Garu iria ignorar ela que ficaria sozinha querendo brincar com alguém.

Sendo assim, resolvemos adotar 2 gatos bebês então, um macho e uma fêmea, para que eles dois sim fossem uma dupla dinâmica e vivessem juntos, haha. Então chegou o Luke e a Léia que, apesar de não serem irmãos, imediatamente se apegaram muito um ao outro e já estão brincando muito juntos, aprontando juntos, revirando essa casa de pernas para o ar, hahaha, mas já era de se esperar, filhotes são assim mesmo.

Léia

Luke: Uma amiga da nossa vizinha postou um stories falando de um gato bebê macho que estava para adoção. Foi encontrado por ela abandonado num sítio. A vizinha nos encaminhou esse storie porque ela sabia do nosso desejo de adotar, e na mesma hora me apaixonei perdidamente por ele e soube na mesma hora que tinha que ser ele. Falamos com a moça que trouxe o gatinho até o nosso bairro e minha irmã foi busca-lo com ela e trouxe pra casa.

Léia: Uma amiga do trabalho da minha mãe tinha uma gata que acabou de dar cria (infelizmente não castrou a bichinha </3) e mostrou foto dos gatinhos para a minha mãe porque ela também sabia que queríamos adotar (sim, nós espalhamos a notícia por aí, caso alguém soubesse de gatos para adoção). E apesar de nós querermos na verdade uma gata toda preta, nos apaixonamos por essa que é toda preta, porém tem a barriga, o focinho e as patas brancas. Então a moça levou a gatinha pra minha mãe que trouxe pra casa.

Luke e Léia brincam juntos o tempo todo

O Garu é muito medroso e um pouco ciumento, além de ser bem mais velho e já não ser mais muito fã de brincadeiras. O negócio dele agora é só comer e dormir, além de receber muito carinho. Então de fato, ele não quis brincar com os gatinhos quando chegaram. No começo ele tinha medo dos dois gatinhos, na verdade ainda tem um pouco, não quer nem chegar perto, mas já atura estar no mesmo ambiente que eles, haha. E claro que continuamos a dar muita atenção e carinho pra ele como sempre, para que ele não se sinta excluído.

Achamos que ele está lidando com a chegada dos gatinhos bem melhor do que a Lylú lidou quando o Garu chegou na casa. A Lylú ficou miando e chorando durante dias, não importava quanta atenção e carinho déssemos a ela, por fim obrigamos ela a ficar SIM no mesmo ambiente que ele e assim ela se acostumou com ele, hehe.


Tanto o Luke quanto a Léia chegaram bem sujos e cheios de pulga. Já demos banho e já colocamos remédio antipulga nos três gatos. Também já levamos na veterinária que disse que vão precisar ganhar mais peso e tomar vacinas, então estamos correndo atrás disso tudo. Mas só em 30 dias que estão aqui em casa já deu pra ver uma grande diferença: pararam de se coçar tanto e engordaram um pouco com ração boa (principalmente o Luke que estava desnutrido, coitado).

Sabemos que a Léia nasceu no dia 06 de fevereiro de 2021, não sabemos do Luke, mas como ambos tinham por volta de 1 mês quando chegaram aqui em casa no dia 02 de março, então 06 de fevereiro passou a ser oficialmente a data de aniversário deles.

Quando tiverem idade suficiente, vamos mandar castrar os dois. Também vamos começar a introduzir eles nos beirais daqui de casa (que tem tela) e também no corredor do lado de fora do apartamento que é área comum e ao ar livre onde podem tomar ar fresco e sol. Vai ser um pouco difícil ensinar eles que não devem subir no muro (onde não tem tela) ou descer as escadas, mas se a Lylú e o Garu aprenderam, então eles também podem aprender.


Eles parecem bem raquíticos atualmente, mas pela minha experiência de 25 anos com gatos em casa, sei que quando crescerem vão ficar mais lindos ainda, com o pelo brilhoso. Todo gato que é bem cuidado dentro de casa fica extremamente lindo!

Enfim, estamos muito felizes com a chegada desses dois bebês, são muito fofos e engraçadinhos quando brincam, tudo é novidade pra eles, se encantam com qualquer coisa, haha. Também aprontam bastante, mas nenhuma novidade, o importante mesmo é saber disso tudo quando se decide adotar.


Já tenho uma super novidade pra contar: deu a louca aqui em casa e resolvemos adotar DOIS gatos bebês de uma vez só! Aconteceu então “A Asce...

0 comentários:

The Sims 2 - Seria esse o melhor da série?

22.3.21 Renata Carvalho 2 Comments



Gênero: Casual, Simulação | Desenvolvedor: Maxis | Distribuidor: Eletronic Arts | Lançamento: 2004 | Jogadores: 1 | Disponível em português: Sim | Classificação indicativa: 12 anos | Onde encontrar: Mercado Livre
__________

Apesar de The Sims 2 ter sido lançado em 2004, eu só fui conseguir jogar mesmo dez anos depois, em 2014, quando já não era mais novidade pra ninguém, mas pra mim foi algo revolucionário e novo.

Acontece que na minha adolescência nos anos 2000 eu não era de jogar muito nenhum joguinho, não só porque eu realmente não gostava muito na época e nem conhecia, mas também porque o The Sims 2 era caro e não tínhamos condições de comprar na época (falei no post de The Sims 1 que eu só consegui jogar ele porque era da minha prima, não meu). E por causa disso, a série The Sims passou mais de 10 anos esquecida pra mim.



Porém, eis que veio o ano de 2014 (eu já tinha 23/24 anos), e em setembro desse ano eles iriam lançar o The Sims 4. Então pra comemorar isso, em julho a Origin resolveu dar o The Sims 2, com todos os pacotes de expansão e coleção de objetos inclusos, totalmente de graça por tempo limitado.

Eu simplesmente pirei quando fiquei sabendo dessa notícia. Se eles tivessem resolvido dar o The Sims 1 eu já teria ficado muito feliz, mas não, eles resolveram dar o 2, que eu nunca tinha jogado na vida, e com tudo incluso, totalmente de graça, parecia a realização de um sonho pra mim. Então corri pra baixar o Origin no meu computador, criei uma conta lá e peguei o The Sims 2 pra minha conta, aonde ficaria para sempre.

A partir daí, enquanto estava todo mundo animado com o lançamento do The Sims 4, eu me acabava de jogar o The Sims 2 porque era tudo novo pra mim, tinha muita coisa pra explorar no jogo com tudo incluso, passei muitas e muitas horas viciada jogando, nem estava acreditando que era real.

Eu explorei o jogo ao máximo por mais de 1 ano, tudo o que tinha, e mesmo assim nunca enjoei dele porque eu nunca me canso de The Sims nenhum, é um dos meus jogos favoritos, se não for o favorito.



O The Sims 2 possui 8 Pacotes de Expansão, lançados entre 2005 e 2008, sendo eles:

• Vida de Universitário
• Vida Noturna
• Aberto para Negócios
• Bichos de Estimação
• Quatro Estações
• Bom Voyage
• Tempo Livre
• Vida de Apartamento

Também possui 10 Coleções de Objetos, lançados entre 2005 e 2008, sendo eles:

• Pacote Festa de Natal
• Diversão em Família
• Glamour
• Happy Holiday
• Celebrações!
• H&M Fashion
• Estilo Teen
• Cozinhas & Banheiros: Design de Interiores
• Lar IKEA
• Mansões & Jardins



Agora os Sims têm 7 estágios de vida: recém-nascido, bebê, criança, adolescente, jovem adulto, adulto e idoso. E o jogo se tornou mais realista com relação ao seu antecessor, uma vez que introduziu os finais de semana para os Sims descansarem do trabalho e escola; as Sims ficam grávidas para ter seus bebês (ao invés de simplesmente aparecer um berço do nada como no The Sims 1); existe mais opções de customização dos Sims; os momentos marcantes como primeiro beijo, entrada na faculdade, dentre outros, ficam nas lembranças dos Sims.

O jogo base introduz três vizinhanças: Belavista, Estranhópolis e Vila Verona. Com os pacotes de expansão, mais vizinhanças podem ser adicionadas ao jogo como Colina Formosa (Quatro Estações), Vale Desiderata (Tempo Livre) e Enseada Belladona (Vida de Apartamento).

Há também os lotes comunitários dos pacotes: Vida de Universitário (UNESIM, La Fiesta Tec, Le Dancê Academic), Vida Noturna (Centro da Cidade), Aberto para Negócios (Vila Água Azul), Bom Voyage (Três Lagos, Ilha Twikkii, Vila Takemizu).



Como sempre eu gosto de jogar tanto criando a minha própria família de início (pra conhecer mesmo o jogo), quanto jogando com as outras famílias que tem no jogo (depois de ler a história deles e dar continuidade a essas histórias).

Agora também tem muito mais opções de construção e decoração das casas, e embora eu curta, essa não é exatamente a minha parte favorita, tanto que várias vezes simplesmente peguei casas prontas que o jogo disponibiliza, e no máximo decorei ao meu gosto. O que eu gosto mesmo é de jogar com os Sims.



Eu sempre amei as histórias das famílias e nesse quesito o The Sims 2 expandiu bastante. Fiz questão de jogar com absolutamente todas, dando a todos os personagens exatamente o que eles queriam, fossem coisas boas ou ruins, haha.

O jogo se passa 25 anos depois do The Sims 1 e muita coisa mudou nas famílias que existiam, assim como também novas surgiram. Então só pra resumir:

• A Família Caixão é formada por Vladmir que já é um idoso à beira da morte (sua esposa Laura desapareceu misteriosamente e nunca mais voltou, embora continue viva), sua filha Cassandra que já é uma adulta e está noiva, e pelo filho caçula Alexandre que é uma criança.

• A Família Caliente é formada pelas irmãs Dina e Nina. Tudo leva a crer que são interesseiras, com Dina de olho na fortuna de Vladmir Caixão e também ambas envolvidas romanticamente com Don Lotário.

• A Família Lotário é formada apenas por Don Lotário que é o mulherengo na vizinhança, estando amplamente envolvido em relacionamentos amorosos, incluindo sua noiva Cassandra Caixão, a empregada Catarina Langerak, as irmãs Dina e Nina Caliente, e supostamente Laura Caixão, pois ela foi vista pela última vez no terraço da casa dele antes de desaparecer.



• A Família dos Encantos é composta por Daniel, sua esposa Maria José, e suas filhas gêmeas adolescentes Ângela e Lílite. Eles aparentam ser uma família perfeita, mas na realidade tem as suas intrigas. As gêmeas se odeiam (aparentemente uma delas é rebelde porque teve uma infância difícil e a outra é certinha porque sempre teve tudo o que queria); e Daniel está tendo um caso com a empregada Catarina Langerak, o que pode ser pego no flagra por Maria José se o jogador permitir.

• A Família Malpaga é formada por Brenda, seu filho adolescente Eric e seu filho bebê Bial. Seu marido Durango morreu num acidente na piscina e a deixou grávida do terceiro filho. Eles têm uma péssima situação financeira e a preocupação de Brenda de lidar com Eric que é rebelde, educar Bial para não ser como ele, além do bebê que ela está esperando.

E essas são só algumas das principais, mas também poderia citar a Família nas Nuvens (Dario e seu filho Duque), a Família Bicudo (casal cientistas Loki e Circe, e o “colega de quarto” Nervoso Cobaia), a Família Espectro (Olívia e sua sobrinha Ofélia Nigma), a Família Curioso (irmãos Pascal, Vicundo e Lazlo), a Família Rosnado (General Bruto e seus filhos Culatra, Imito e Armânio), a Família Rugabaixa (Srta. Rugabaixa), a Família Silva (Jeanie, seu marido alienígena 9 de Souza, e seus dois filhos João e Jill), dentre muitos outros. Fiz questão de jogar com TODOS.



Enfim, foi maravilhoso ter tido a oportunidade de adquirir esse jogo completo porque passei muitos meses viciada, jogando direto, de tanto que amei. Se tivesse como “zerar” esse jogo, acho que eu teria conseguido de tanto que explorei todos os lotes e vivi tudo ao máximo pra ver todas as interações de todos os personagens, objetos e lugares. The Sims 2 ocupa um lugar muito especial no meu coração e vai continuar assim pra sempre.

♦ Me adicione na Steam


Gênero: Casual, Simulação | Desenvolvedor: Maxis | Distribuidor: Eletronic Arts | Lançamento: 2004 | Jogadores: 1 | Disponível em portu...

2 comentários:

Oscar 2021: indicados e onde assistir

15.3.21 Renata Carvalho 0 Comments


Hoje, dia 15/03/2021, saíram os indicados para o Oscar 2021. Como grande fã de filmes que sou, costumo acompanhar essa premiação todo ano, mesmo sendo constantemente feita de palhaça por sempre esperar que o Brasil leve alguma coisa e ficar sempre no vácuo, hahaha.

Resolvi então fazer esse post no blog para ajudar a me situar e também quem mais se interessar em fazer maratona antes da premiação que vai ser no dia 25/04.

Saiba então quais são os indicados no Oscar 2021, onde assistir (no momento da publicação desse post) e quem são os ganhadores (atualizarei esse post depois da premiação).

__________


MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Maria Bakalova – Borat: A Fita de Cinema Seguinte (Amazon Prime Video)
Glenn Close – Era Uma Vez Um Sonho (Netflix)
Olivia Colman – Meu Pai
Amanda Seyfrid – Mank (Netflix)
Yuh-Jung Youn – Minari

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Sacha Baron-Cohen – Os 7 de Chicago (Netflix)
Daniel Kaluuya – Judas e o Messias Negro
Leslie Odom Jr – Uma Noite em Miami (Amazon Prime Video)
Paul Raci – O Som do Silêncio (Amazon Prime Video)
Lakeith Stanfield – Judas e o Messias Negro

MELHOR ANIMAÇÃO

Dois Irmãos (Disney+)
A Caminho da Lua (Netflix)
Shaun, o Carneiro, o Filme: A Fazenda Contra-Ataca (Netflix)
Soul (Disney+)
Wolfwalkers (Apple TV+)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL

Fight for You – Judas e o Messias Negro
Hear My Voice – Os 7 de Chicago (Netflix)
Husavik – Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars (Netflix)
Io Sì (Seen) – Rosa e Momo (Netflix)
Speak Now – Uma Noite em Miami (Amazon Prime Video)

MELHOR CABELO E MAQUIAGEM

Emma (Telecine Play)
Era Uma Vez Um Sonho (Netflix)
A Voz Suprema do Blues (Netflix)
Mank (Netflix)
Pinocchio (Netflix)


MELHOR FIGURINO

Emma (Telecine Play)
A Voz Suprema do Blues (Netflix)
Mank (Netflix)
Mulan (Disney +)
Pinocchio (Netflix)

MELHORES EFEITOS VISUAIS

Tenet (NOW, Looke)
Mulan (Disney+)
O Céu da Meia Noite (Netflix)
O Grande Ivan (Disney+)
Love and Monsters

MELHOR FOTOGRAFIA

Judas e o Messias Negro
Mank (Netflix)
Relatos do Mundo (Netflix)
Nomadland
Os 7 de Chicago (Netflix)

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO

Meu Pai
A Voz Suprema do Blues (Netflix)
Mank (Netflix)
Relatos do Mundo (Netflix)
Tenet (NOW, Looke)

MELHOR EDIÇÃO/MIXAGEM DE SOM

Greyhound (Apple TV+)
Mank (Netflix)
Relatos do Mundo (Netflix)
Soul (Disney+)
O Som do Silêncio (Amazon Prime Video)


MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL

Destacamento Blood (Netflix)
Mank (Netflix)
Minari
Relatos do Mundo (Netflix)
Soul (Disney+)

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

Judas e o Messias Negro
Minari
Bela Vingança
O Som do Silêncio (Amazon Prime Video)
Os 7 de Chicago (Netflix)

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

Meu Pai
Nomadland
Uma Noite em Miami (Amazon Prime Video)
O Tigre Branco (Netflix)
Borat: A Fita de Cinema Seguinte (Amazon Prime Video)

MELHOR DOCUMENTÁRIO

Collective
Crip Camp: Revolução pela Inclusão (Netflix)
Agente Duplo (Globo Play)
Professor Polvo (Netflix)
Time (Amazon Prime Video)

MELHOR DOCUMENTÁRIO DE CURTA-METRAGEM

Colette
A Concerto Is a Conversation
Do Not Split
Hunger Ward
A Love Song for Latasha (Netflix)


MELHOR CURTA METRAGEM

Feeling Through
The Letter Room
The Present
Two Distant
Strangers
White Eye

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO

Toca (Disney+)
Genius Loci
Se Algo Acontecer... Te Amo (Netflix)
Opera
Yes-People

MELHOR EDIÇÃO

Meu Pai
Nomadland
Bela Vingança
O Som do Silêncio (Amazon Prime Video)
Os 7 de Chicago (Netflix)

MELHOR FILME INTERNACIONAL

Druk (Dinamarca)
Better Days (Hong Kong)
Collective (Romênia)
The Man Who Sold His Skin (Tunísia)
Quo Vadis, Aida? (Bósnia e Herzegovina)

MELHOR DIREÇÃO

Chloé Zhao – Nomadland
Emerald Fennell – Bela Vingança
Lee Isaac Chung – Minari
David Fincher – Mank (Netflix)
Thomas Vinterberg – Druk


MELHOR ATOR

Riz Ahmed – O Som do Silêncio (Amazon Prime Video)
Steven Yeun – Minari
Chadwick Boseman – A Voz Suprema do Blues (Netflix)
Gary Oldman – Mank (Netflix)
Anthony Hopkins – Meu Pai

MELHOR ATRIZ

Viola Davis – A Voz Suprema do Blues (Netflix)
Andra Day – The United States vs. Billie Holiday
Vanessa Kirby – Pieces of a Woman (Netflix)
Frances McDormand – Nomadland
Carey Mulligan – Bela Vingança

MELHOR FILME

Os 7 de Chicago (Netflix)
Meu Pai
Judas e o Messias Negro
Mank (Netflix)
Minari
Nomadland
Bela Vingança
O Som do Silêncio (Amazon Prime Video)

__________

A premiação acontece no dia 25 de abril de 2021 e quem quiser surtar junto comigo, já vamos nos seguir no Twitter!


Hoje, dia 15/03/2021, saíram os indicados para o Oscar 2021 . Como grande fã de filmes que sou, costumo acompanhar essa premiação todo ano, ...

0 comentários:

Minissérie: WandaVision

8.3.21 Renata Carvalho 0 Comments



Gênero: Drama, Ficção, Mistério, Romance, Super-herói | Duração: 29-41 minutos | Criação: Jac Schaeffer | Baseado em: Feiticeira Escarlate e Visão, da Marvel Comics | País de Origem: Estados Unidos | Emissora: Disney+ | Ano: 2021 | Temporadas: 1 | Episódios: 9 | Status: Finalizado

__________

Resumo:


WandaVision, da Marvel Studios, mistura o estilo de sitcons clássicas com o Universo Cinematográfico da Marvel, e acompanha Wanda Maximoff (Elizabeth Olsen) e Visão (Paul Bettany) – dois super-heróis vivendo uma vida ideal no subúrbio – começando a suspeitar que nem tudo é o que parece.

__________


Resenha:


Eu tinha tantas séries atrasadas para colocar em dia, mas eu não consegui resistir em colocar WandaVision na frente de todas quando estreou e vi todo mundo comentar sobre ela bastante empolgado, haha.

Sempre fui muito fã do MCU (Universo Cinematográfico da Marvel) e, embora essa temática de super-heróis tivesse COMEÇADO a saturar um pouco nos últimos tempos – principalmente depois da conclusão épica que foi Vingadores: Ultimato (2019) –, eu achei que a Marvel e a Disney conseguiram dar uma bela reavivada nesse tema tirando os heróis um pouco do cinema e levando para as séries de televisão, uma mudança que foi muito acertada porque WandaVision foi incrível.

Eu realmente não esperava que fosse gostar tanto, minhas expectativas não estavam altas porque, como eu disse, estava um pouco saturada desse tema de super-heróis, porém nunca dá para duvidar da capacidade da Marvel e da Disney de fazerem produções incríveis e fui surpreendida muito positivamente.

WandaVision começou como uma série muito divertida e engraçada naquele formato de sitcons, o que já era algo muito diferente e inovador do que estávamos acostumados a ver no MCU, e só aí já serviu para chamar a minha atenção. Depois ele começou a fazer em cada episódio uma homenagem maravilhosa para todas as décadas da televisão a partir dos anos 50, e foi muito gostoso de ver e tentar associar quais programas específicos e famosos foram homenageados. E por fim, claro, não podia faltar todo o mistério do porquê aquilo tudo estava acontecendo, tem que ter um motivo.

Eu não li as HQ’s da Feiticeira Escarlate e do Visão, no qual a série se baseou bastante, mas não é necessário que a pessoa tenha lido, dá pra entender muito bem só assistindo. Porém ainda assim eu queria entender de forma profunda, então fui sim atrás de assistir vídeos que comentavam os episódios relacionando com os quadrinhos e também faziam teorias do que poderia vir nos episódios a seguir, afinal tudo está interligado. O meu favorito para acompanhar foi a collab da Mikannn e do Michel Arouca.

Enfim, eu curti bastante e já fiquei empolgada para continuar acompanhando as próximas séries que a Marvel confirmou que lançaria do MCU. Amo demais, sou muito fã!






Gênero: Drama, Ficção, Mistério, Romance, Super-herói | Duração: 29-41 minutos | Criação: Jac Schaeffer | Baseado em: Feiticeira Escarla...

0 comentários:

Internet: Twitch, Steam e Origin

1.3.21 Renata Carvalho 2 Comments

Internet é um quadro daqui do blog onde eu falo das redes sociais que mais estou usando no momento. Essa é uma forma de documentar aqui no blog esses sites que estão super em alta hoje em dia e ver como estarão no futuro, se terão se reinventado ou se serão esquecidos.

• A ideia desse quadro veio depois de eu revisitar meu post [Meme] Internet Old School, no qual eu falo de tudo o que vivi na Internet por boa parte dos anos 90 e todos os anos 2000, e notar como hoje tudo isso virou lembranças e nostalgia.

__________




TWITCH
A Twitch surgiu em 2011 e se popularizou em 2013, mas eu só fui saber da existência e criar uma conta em 2018. Eu acompanhava um youtuber de games de The Sims (amo!) que nos seus vídeos sempre falava que fazia lives todos os dias na Twitch. Curiosa, fui atrás para saber do que se tratava e assim conheci a Twitch.

O youtuber e streamer em questão é o Dimas, sou muito fã dele, comecei assistindo apenas gameplays de The Sims, porém com ele acabei descobrindo uma porção de jogos novos e incríveis que eu não conhecia e acabei me viciando, criei uma conta na Steam e passei a jogar mais coisas além de The Sims. Foi um daqueles momentos que me abri para o novo e descobri um mundo inteiro de possibilidades. A grande maioria dos jogos que recomendo na categoria Jogos são indicações dele que joguei e gostei.

Na Twitch rola milhares de lives dos streamers não apenas jogando, mas também bate-papo com a galera, sprints de leitura, lives de concentração para conseguir focar no trabalho ou estudos, etc. São várias possibilidades, basta cada um achar aquele streamer que mais tem a ver com você. Ah, e quem tem Amazon Prime, pode dar sub de graça no seu streamer favorito todos os meses, já está incluso na assinatura.

Meu user é: RenataCarv

__________




STEAM
A Steam surgiu no início dos anos 2000, não se sabe ao certo o ano. Trata-se de um site de distribuição de jogos digitais no qual você cria uma conta e tem acesso a um catálogo de mais de 10 mil jogos originais que você pode comprar o que quiser e ficar na sua conta para jogar para sempre.

Eu criar uma conta na Steam em 2018 foi consequência de ter passado a acompanhar o Dimi na Twitch e me interessado por cada vez mais jogos. O primeiro jogo que comprei foi o Planet Coaster em 2018, depois Little Big Adventure 2 (um jogo da minha infância) em 2019, e só.

Foi só a partir de 2020 que eu de verdade mergulhei de cabeça pra conhecer e jogar mais coisas e comprei uma porção de jogos que eu queria e que de vez em quando entram em promoção, personalizei meu perfil, adicionei novos amigos que conheci nas lives do Dimi e passei muitas horas jogando. É uma comunidade bem legal que te permite interagir e jogar com as pessoas, ler resenhas de jogos, colecionar cartas e insígnias dos jogos, etc.

Meu user é: renatacarvalho

__________




ORIGIN
A Origin surgiu em 2009. Também é um site de distribuição de jogos digitais igual a Steam e vários outros que existem. É sempre bom ter mais de um para ver qual deles faz uma promoção melhor para o jogo que você está querendo comprar.

Conheci a Origin primeiro, em 2014, antes de eu saber da existência do Dimi e desses sites de jogos. Acontece que em setembro desse ano a EA Games iria lançar o The Sims 4, então em julho eles resolveram dar de graça na Origin o The Sims 2 com todos os pacotes de expansão inclusos. Fiquei sabendo dessa notícia e corri para baixar a Origin, criar uma conta e pegar o jogo de graça que ficaria na minha conta para sempre. Passei muitos e muitos meses felizes viciada jogando, haha.

Em novembro de 2015 a Origin fez promoções de Black Friday, e o The Sims 4 caiu de 100 reais (na época) para apenas 25 reais, então corri pra comprar porque valia muito a pena. Já aconteceu também da Origin ter dado o The Sims 4 base de graça por uns dias, então é uma plataforma que vale muito a pena acompanhar as promoções dos seus jogos favoritos.

Meu user é: RehCarv

__________

Confira também os posts anteriores:



• Internet é um quadro daqui do blog onde eu falo das redes sociais que mais estou usando no momento. Essa é uma forma de documentar aqui n...

2 comentários:

Little Misfortune - O que tem de fofo, tem de bizarro

22.2.21 Renata Carvalho 0 Comments



Gênero: Aventura, Casual, Indie | Desenvolvedor: Killmonday Games | Distribuidor: Killmonday Games | Lançamento: 2019 | Jogadores: 1 | Disponível em português: Sim | Classificação indicativa: 14 anos | Onde encontrar: Steam, Origin, PlayStation, Xbox

__________

Descobri esse jogo assistindo uma gameplay na twitch do Dimas como sempre (aliás super recomendo esse streamer) e amei demais, então fiz questão de comprar o jogo e jogar duas vezes seguidas só para conseguir todas as conquistas Steam, haha, o que levou apenas 9 horas (mas dá tranquilamente pra zerar em menos tempo).

Somos situados na cidade fictícia de Openfields, na Suécia, em 1993. O jogo gira em torno de Misfortune, uma menina de 8 anos cheia de imaginação que é guiada por uma voz em sua cabeça, o Sr. Voz, que propõe a ela um jogo, cujo prêmio no final é a Felicidade Eterna, no qual ela resolve dar para sua mãe que precisa mais do que ela.



Little Misfortune é um jogo interativo, focado na exploração e na interação com vários personagens que aparecem ao longo da história (bons e ruins), onde não há escolhas certas ou erradas, mas apenas diferentes consequências, e cada uma delas levando a um desfecho diferente da história.

A personagem é extremamente fofa, cheia de carisma e inocente, tão inocente que não vê maldade em cenas pesadas que ela encontra em seu caminho como drogas, prostituição, crime, suicídio etc. E isso inclui o relacionamento dos próprios pais dela, no qual vamos entendendo o que realmente se passa entre eles. Com relação a todas essas coisas, Misfortune acredita que pode resolver com seu “glitter mágico”, numa tentativa de transformar a dor em amor.



É um tipo de jogo muito reflexivo. Uma questão que vale a pena citar como exemplo é o fato de todas as pessoas na história usarem máscaras sorridentes, que é uma forma de mostrar o quanto as pessoas tentam esconder seus reais sentimentos. Sorriem enquanto seus corações sangram.

Joguei duas vezes, a primeira fazendo todas as escolhas que eu realmente faria, e a segunda vez sempre escolhendo a outra opção que normalmente não seria a minha escolha, apenas porque eu queria muito ver quais seriam todas as consequências e também todos os finais possíveis do jogo. Valeu muito a pena, apesar de ser obrigada a passar por algumas situações mais tristes do que outras.



Enfim, é um jogo curto e sem tantos desafios assim, porém memorável, incrível e inteligente, do tipo que te convida a refletir sobre tudo o que ele aborda. Já se tornou um dos melhores jogos que joguei na vida!

♦ Me adicione na Steam


Gênero: Aventura, Casual, Indie | Desenvolvedor: Killmonday Games | Distribuidor: Killmonday Games | Lançamento: 2019 | Jogadores: 1 | ...

0 comentários:

Os pets que já tive na vida

15.2.21 Renata Carvalho 8 Comments


Eu e minha família sempre fomos apaixonados por bichinhos de estimação, sempre fizeram parte da nossa vida e sempre nos fizeram extremamente felizes, então claro que nunca passamos nenhum período da vida (desde antes de eu me entender por gente) sem ter pelo menos algum na nossa casa.

Sendo assim, resolvi fazer um post falando sobre todos os que já tivemos a partir do momento em que eu nasci (em 1990) até hoje. Vai ser um post super nostálgico porque cada um deles me marcou bastante e que quero me lembrar para sempre.

Ah, e só pra não ficar repetitivo no post: TODOS os nossos pets foram adotados (nunca comprados) e foram castrados quando filhotes.

__________



PIG
Eu nasci em setembro de 1990, e a Pig era uma cadela super fofa que nasceu em janeiro de 1991 e que meus pais resolveram adotar, então eu era apenas 4 meses mais velha do que ela e nós crescemos juntas. Minha mãe deu esse nome a ela por causa da Miss Piggy, que era uma personagem do programa dos Muppets e que ela adorava, achava super engraçada.

Pensa numa cadela super comportada, obediente, não dava um pingo de trabalho. A Pig gostava de todos nós da família, até mesmo das minhas duas irmãs que nasceram 5 e 10 anos depois dela, porém ela não ia muito com a cara de quem fosse de fora. Ficava uns cinco minutos latindo sempre que chegava visita em casa até se cansar e sossegar, haha. Mas era com a minha mãe que a Pig se derretia inteira, e ganhar carinho dela era o auge, chegava a fazer xixi de tanta felicidade, hahaha.

Ela era do tipo que vinha receber a gente na porta sempre que voltávamos pra casa depois de sair, com latidos de felicidade como se fizesse anos que não nos via, era muito fofa. E ela conviveu com a Linda que adotamos mais tarde.

Ela viveu 12 anos, de 1991 até 2003. Infelizmente ela morreu em decorrência de um tumor que ela desenvolveu na velhice (eu tinha 12 anos quando aconteceu), e foi muito triste perde-la porque foi nosso primeiro pet, eu passei minha infância inteira com ela, crescemos juntas. Ela foi amada por nós a vida inteira dela e continua sendo até hoje.

Pig
(1991 – 2003)






__________





LINDA
Houve uma época em que começaram a aparecer vários ratos em casa que estavam roendo todas as embalagens de comida e todos os fios, chegaram a acabar com os fios do fogão. A Pig tentava pegar quando via algum, mas não era a “especialidade” dela, haha.

Por fim meus pais decidiram que iriam adotar um gato e, sabendo disso, meu tio ofereceu uma gata filhote que ele encontrou abandonada perto de um rio na mesma época. E sério, foi só a Linda colocar a primeira pata pra dentro de casa que na mesma hora todos os ratos fizeram as malas e foram embora, haha, e nunca mais vimos nenhum. Resolveu a situação super bem!

Foi a nossa primeira gata e também não tinha como ser diferente: nos apaixonamos na mesma hora. Quero dizer, meu pai foi resistente no início, nunca conviveu com gatos na vida antes disso e tinha aquela ideia preconceituosa de que gato é traiçoeiro e interesseiro, e só aceitou a Linda porque não tinha escolha por causa dos ratos. Claro que não demorou nada e ele também mudou de ideia completamente, se encantou e se apaixonou pela Linda e passou a amar os gatos também.

Na época eu era criança e não tinha muita criatividade pra nomes, haha, então dei o nome de Linda porque ela realmente era muito linda, olhos azuis, toda peluda e num tom creme/pérola, maravilhosa.

Não foi preciso passar por nenhuma adaptação entre a Pig e a Linda. Elas não eram melhores amigas, mas também não se odiavam, conviviam super bem uma com a outra. Linda também era um amor de gata, super comportada. Acho que não tivemos uma dupla de bichinhos que nos deu menos trabalho na vida do que essas duas (ao contrário dos próximos, haha). Linda quase nunca miava, a gente brincava que era porque ela não sabia miar porque só convivia com a Pig que latia (e talvez fosse isso mesmo!).

Uns anos mais tarde a gente reparou que a Linda começou a desenvolver cegueira porque ela batia bastante de frente com a parede e com os objetos no caminho, muito embora tentava se orientar pelo olfato no ambiente da casa que ela já conhecia. Ficou muito perdida e precisava bastante da nossa ajuda pra chegar por exemplo à caixa de areia e à caminha dela.

Ela viveu 9 anos, de 1997 até 2006. Um dia nós viajamos e ela ficou sendo cuidada por um primo meu que um dia se esqueceu de abrir a porta e colocar ela pra dentro de casa, e assim ela se perdeu. Ficamos arrasados quando voltamos pra casa, na época morávamos em uma casa que ficava num terreno grande que pertencia ao meu avô, e meu pai procurou por muito tempo em toda parte, mas infelizmente nunca achou ela. Eu tinha 16 anos.

Linda
(1997 – 2006)

Salen e Linda

__________





SALEN
Depois que a Pig morreu em 2003, nós resolvemos adotar outro gato para fazer companhia para a Linda pra ela não ficar sozinha na época, então adotamos o Salen de uma amiga da minha mãe cuja gata dela tinha dado cria. Ele era um gato todo preto, coisa mais linda e perfeita, e o primeiro macho que tivemos. E minha “criatividade” não tinha limites, resolvi dar pra ele o nome mais manjado de todos pra um gato preto: Salen, por causa do programa da Sabrina, a Aprendiz de Feiticeira, que tinha um gato preto chamado Salen, hahaha.

Eu me lembro pouco dele porque infelizmente ele viveu pouco com a gente, apenas 4 anos, de 2003 até 2007, porque ele não costumava ficar quieto em casa, gostava bastante de andar por todo o terreno em que morávamos, subia em árvores, se escondia no mato e infelizmente começou a comer comida do lixo na rua (e nós não víamos isso).

Só fomos descobrir que o fígado dele já estava comprometido quando já era tarde demais e ele acabou falecendo. Eu tinha 17 anos na época. Foi a primeira vez que tivemos um gato “rebelde”, que gostava de sair de casa e explorar o terreno, porque a Linda não era assim. E foi assim que a gente aprendeu na época da importância de manter os bichinhos dentro de casa e só deixá-los sair acompanhados por um de nós pelo próprio bem deles.

O Salen chegou a conhecer a Lylú por pouco tempo, ela era uma filhote cheia de energia que queria brincar, mas ele já era mais velho e não dava tanta bola assim pra ela, haha.

Salen
(2003 – 2007)

Lylú brincando com o Salen

__________





LYLÚ
Eu já fiz um post aqui no blog completo e detalhado contando toda a vida da Lylú, você confere aqui: Lylú, para sempre no meu coração. Então agora só vou resumir.

A Lylú nasceu em 2007. Um tio meu tinha uma gata que tinha dado cria, e um dos filhotes era a Lylú, então resolvemos adotar para ela fazer companhia para o Salen que estava sozinho desde que a Linda morreu no ano anterior, em 2006. Infelizmente não chegaram a conviver por muito tempo, só alguns meses, já que ele também morreu em 2007.

Lylú também era danada quando mais jovem, gostava de aprontar, brincar, miar. Também corria solta pelo terreno e subia em árvores, mas sempre na frente de casa e sendo supervisionada por um de nós.

Dois anos depois nós nos mudamos para o apartamento atual que fica dentro de um condomínio fechado, e claro que mandamos colocar tela em todas as janelas para levar a gata e ela ficar segura. E a partir daí ela passou a levar uma vida sedentária, já que não tinha mais um terreno pra correr, então ficava a maior parte do tempo dormindo na caminha dela. Mas claro que ela sempre teve um pico ou outro de energia e queria brincar, o problema é que ela gostava de brincar de arranhar e morder, então sempre ficamos com os braços arranhados, hahaha. E ela também amava levar tapas leves no bumbum, como falei no post, haha.

Ela viveu 13 anos, de 2007 até 2020, até que começou a ficar cada vez mais doente por causa de uma série de fatores por conta da idade mesmo, até que não resistiu e faleceu. Eu já tinha 30 anos.

Lylú
(2007 – 2020)

Lylú e Garu

__________





GARU
A vida toda nós sempre gostamos de ter uma dupla de gatos em casa, um macho e uma fêmea, para que eles fizessem companhia um para o outro e brincassem juntos, nunca pra procriar, claro. Então em 2009, quando nos mudamos para o apartamento, resolvemos adotar um gato para fazer companhia para a Lylú que estava sozinha, então chegou o Garu.

O nome dele veio do desenho da Pucca, que era apaixonada por um ninja chamado Garu, e nós achávamos o desenho muito fofo, então o nome ficou quando o gato chegou. E ele veio de uma vizinha dos pais do marido da minha prima (eu sei, ficou confuso, haha) que ouviu falar que nós queríamos um gato macho e laranja e a gata dela tinha dado cria.

Até hoje Garu continua vivo e bem com a gente e é o nosso xodó, super carinhoso e fofo, ama estar sempre na companhia de alguém e detesta ficar sozinho, chega a ser bem grudento, haha.

Como foi criado apenas no apartamento e nunca saiu daqui pelo próprio bem dele, o apartamento é tudo o que ele conhece na vida e tem medo de qualquer coisa que envolve sair daqui, por isso que o máximo que ele sai é no corredor em frente ao apartamento, nunca pula no muro ou desce as escadas, então dá pra ficar totalmente despreocupado que ele não vai fugir. Já até aconteceu de a porta fechar sem querer com o vento e ele ficar sozinho do lado de fora, e não é que ele ficou miando pedindo pra entrar? É muito bonzinho e tranquilo.

Mas claro, ele também tem os picos de energia dele pra aprontar, sai correndo pelo apartamento de tal forma que era engraçado ver os olhos arregalados da Lylú tentando acompanhar pra onde ele ia, isso quando ele não pulava por cima dela, HAHAHAHA.

Garu é tão grudento e ciumento com nós da família que eu me pergunto como ele reagiria se nós resolvêssemos adotar um novo gato pra fazer companhia pra ele e também porque sempre gostamos de ter dois gatos, mas tudo a seu tempo, não é algo urgente pra se pensar agora.

Garu
(2009 – presente)

__________




E esses foram todos os 5 pets que nós tivemos na vida até hoje: um cachorro e quatro gatos.

A partir dos anos 2000 a rotina da nossa família mudou: novos trabalhos, novas escolas (eu mesma passei para a adolescência, minha irmã caçula nasceu...) e a vida ficou um pouquinho mais corrida.

Nós notamos que era muito mais fácil ter gatos (que eram um pouco mais independentes) do que cachorros (que necessitavam de passeios diários e espaço para correr), POR ISSO que só tivemos um cachorro, a Pig (durante os anos 90), e o resto foi tudo gato (a partir dos anos 2000).

Mas morremos de amores por todos os animais de forma igual! Nossos pets sempre foram motivo de vários momentos felizes aqui em casa, várias risadas, muito divertimento e principalmente muito amor, tanto da nossa parte quanto da parte deles. Por isso que recomendo fortemente: adotem!

(Claro, apenas se tiverem condições de criar e sabendo que é um compromisso sério pelos próximos 15 anos, em média.)

Eu e minha família sempre fomos apaixonados por bichinhos de estimação, sempre fizeram parte da nossa vida e sempre nos fizeram extremamente...

8 comentários: