Quando pensamos em móveis feitos de madeira, automaticamente já associamos a algo bom, resistente, duro, que vai durar por muitos anos e que vale a pena pagar o preço que for por isso, pois é um bom investimento a longo prazo. Mas isso não é regra geral, e é com isso que temos que nos atentar. Existem diversos tipos de madeira para todos os gostos e necessidades de cada um, dependendo do que cada pessoa precisa, então não existe “certo” ou “errado”.

Eu não descartaria, por exemplo, a madeira de MDF e a de MDP. Elsa podem não ser muito resistentes e estragarem facilmente com umidade, mas são um ótimo custo-benefício para quem não quer gastar muito, procura algo barato e acessível, porém que continue sendo bonito e fácil de achar. Móveis assim costumam ser modernos, minimalistas e lindos.

Vou falar um pouco sobre alguns tipos de madeira para móveis disponíveis para escolher, de acordo com a sua necessidade, e mostrar alguns exemplos de móveis desses estilos da Atelier Clássico para se apaixonar, de acordo com o que o seu coração mandar, haha.

__________



O Carvalho está entre os tipos de madeira para móveis mais comuns e usados, assim como também a Nogueira e o Mogno. Todos são versáteis na fabricação de móveis, costumam ter uma tonalidade branca ou avermelhada e são bem resistentes.

A Cerejeira é uma das madeiras mais caras, mas é muito usada nos móveis por conta da sua tonalidade amarelada e brilhosa, além de ser durável.



O Cedro é um tipo de madeira muito recomendado para móveis de ambientes externos principalmente por ter um odor muito característico dele que é ótimo para afastar insetos, além de ser muito resistente ao ar livre e à umidade.

O Jacarandá é conhecido por ser uma madeira dura, ter alta durabilidade e ser muito resistente a umidade e a insetos (como cupins e fungos). Tem um toque de rústico por conta da tonalidade de marrom escuro muito bonito, o que faz dele um móvel de luxo, e consequentemente caro.



Para quem gosta de móveis claros, o Pinho é uma ótima opção por possuir uma coloração creme ou amarelado claro, além da marcação da madeira em anéis, o que dá um toque rústico bem leve.

Móveis feitos de Pinus também está entre o melhor custo-benefício. Ele é bonito, barato e resistente, além de ser uma madeira de reflorestamento.

A madeira de demolição tem sido muito usada nos móveis hoje em dia. Trata-se de um móvel rústico que contrasta e combina muito bem com uma decoração moderna e minimalista. Além de ser sustentável por ser reaproveitado.


__________

Se a madeira não for o meu material favorito para móveis, então com certeza está entre eles. São muitas opções, muitas propostas de decoração e usabilidade, algumas muito diferentes de outras, mas que ainda assim são capazes de agradar igualmente. Particularmente sou fã dos móveis estilo contemporâneo de madeira da Atelier Clássico, e as vezes fico namorando o catálogo que é enorme, haha.





Publieditorial | Fotos dos móveis: Divulgação/Atelier Clássico

Quando pensamos em móveis feitos de madeira , automaticamente já associamos a algo bom, resistente, duro, que vai durar por muitos anos e qu...


Eu estava animada para o mês de julho porque aconteceria a Bienal do Livro SP 2022. Para quem não sabe, eu vou sempre que ela acontece em São Paulo e adoro. Porém, fui tombada (quase que literalmente) por ela mesma! Fui no primeiro dia que estava lotado e acabei pegando covid lá que me derrubou, não pude mais voltar. Fim da triste história, haha.

Passei a semana inteira com febre, calafrios, uma gripe forte e depois uma tosse que demorou o mês inteiro para passar. Não recomendo para ninguém pegar covid, hahaha. Felizmente eu já estava vacinada com três doses da vacina, mas o triste é que agora vou ter que esperar até 2024 para ir na Bienal de novo.

Depois de completamente recuperara e negativada, em julho eu viajei de ônibus com minha mãe para Paraty/RJ. Fomos visitar minha irmã que se mudou para lá com o companheiro dela e o filhinho, e também conhecemos o sítio onde estão morando agora. Era o sonho deles morarem perto da natureza. O lugar é lindíssimo e tem praia só a 10 minutos da casa deles. Curti muito!

Nesse mês a curiosidade me venceu, após tanta gente comentar, e fui ouvir o podcast A Mulher da Casa Abandonada, da Folha de S. Paulo. Não tenho o costume de ouvir podcasts, mas confesso que esse despertou meu interesse e me deixou intrigada e chocada. É revoltante ouvir a mulher se enrolando nas próprias mentiras e contando várias teorias da conspiração (não sei se ela realmente acredita ou não) para desviar o foco de si.

Também rolou em um final de semana a tradicional Festa Julina do meu condomínio que eu tanto amo! Fui de pão com carne louca e morango coberto de chocolate.

E por fim, resolvi me render e conhecer a Shopee, daí fiz as minhas primeiras comprinhas que vão chegar ao longo do mês de agosto. Foram só compras nacionais, mas depois eu testo compras internacionais. Espero não ficar viciada nisso (oremos, haha).

Entretenimento


LIVRO

Eu reli o livro Procura-se um Marido, da Carina Rissi, porque agora no segundo semestre vai sair o filme baseado nele pela HBO Max e estou na expectativa porque espero por adaptações dos livros da Carina há quase 10 anos, e esse momento finalmente chegou!

FILMES

Assisti mais alguns filmes antigos da Década de 1930 do meu projeto Vencedores do Oscar de Melhor Filme. Também resolvi fazer a loucura de reassistir todos os filmes do Universo Cinematográfico da Marvel e estou gostando porque eu já não lembrava mais de muita coisa (Saga Cinematográfica: MCU – Fase 1).

SÉRIES

Assisti a 7ª e última temporada de Grace and Frankie, chorei muito, que série maravilhosa. Também assisti a 1ª temporada de O Verão que Mudou Minha Vida, fui surpreendida positivamente, não achei tão bobinha não, gostei. E assisti a minissérie Obi-Wan Kenobi, eu gostei pela parte da nostalgia, mas é mediana.

JOGOS

Tentei jogar Fall Guys, mas sei lá, não foi um jogo que me conquistou. Daí fiquei nos mesmos (e amados) Euro Truck Simulator 2 e The Sims 4.

E esse foi o meu mês de julho!


Eu estava animada para o mês de julho porque aconteceria a Bienal do Livro SP 2022 . Para quem não sabe, eu vou sempre que ela acontece em S...


Em Julho de 2019, eu, minha mãe, meu tio e minha tia resolvemos fazer uma viagem de carro para conhecer Caldas Novas/GO. Porém, meu tio disse que ali estaríamos tão perto de Brasília, então por que não ir lá primeiro? Topamos, e assim, encaramos uma viagem de 14 horas de carro até a capital do nosso país.

Todas as fotos que tirei nessa viagem infelizmente estão na vertical porque eu tinha o objetivo de postar apenas nos Stories do Instagram, não aqui no blog. Mas ainda assim acho que é válido fazer esse post para contar como foi (3 anos depois) só pra reviver e recordar com saudades. Nessa época eu tinha 28 anos. E quero muito poder voltar para revisitar os pontos turísticas e conhecer tantos outros que ficaram de fora desse roteiro.

Foi a primeira vez que passei tanto tempo viajando de carro para algum lugar, 14 cansativas horas. Saímos de Guarulhos/SP às 5h da manhã e fomos chegar lá em Brasília às 19h da noite. Nós parávamos a cada duas horas em algum posto ou restaurante na estrada para poder esticar as pernas, ir ao banheiro e comer alguma coisa.

O lugar que nos hospedamos tinha café da manhã e uma vista linda. Era do sindicato que meu tio fazia parte e por isso ele tinha esse direito. Mas nosso objetivo mesmo era turistar o máximo que fosse possível.


PRIMEIRO DIA





Passamos pela Ponte Juscelino Kubitschek sob o Lago Paranoá e conhecemos o Museu Nacional da República Honestino Guimarães. Tinha uma exposição rolando lá dentro. E bem em frente fomos conhecer a Biblioteca Nacional de Brasília Leonel Brizola.

Andamos mais um pouco por lá e avistamos a Catedral Metropolitana de Brasília. Acho que essa foi uma das construções mais lindas que vi, ela é incrível por dentro.

Depois dali, a próxima construção era o Palácio Itamaraty. Muito bonito e gigantesco. Depois chegamos na Praça dos Três Poderes e também no Supremo Tribunal Federal. E por fim, no centro de tudo, tinha o Congresso Nacional Brasileiro.




Nós andamos bastante para conhecer todos esses lugares. Definitivamente Brasília não foi projetada para você passear a pé porque os lugares são muito espaçados uns dos outros e não tem faixa de pedestres, mas ainda assim nós queríamos conhecer desse jeito, e não dentro do carro. Foi bem cansativo, mas valeu a pena.

E era inegável que toda a arquitetura era espetacular, tudo extremamente grandioso e imponente, de encher os olhos. Foi muito bem planejada por Oscar Niemeyer, atendendo ao pedido do então presidente Juscelino Kubitschek, que queria entrar para a história como o presidente que levou a capital do país para o Centro-Oeste, em 1960. Ficou tudo muito bem desenvolvido. Só é uma pena que um lugar tão bonito como aquele esteja hoje sendo controlado por tantas pessoas que não prestam, mas enfim né, hahaha.



Fomos também conhecer o Memorial JK, onde conta um pouco a história dele e da esposa Sara, coisas que pertenceram a eles e onde descansam os restos mortais deles. Também tentamos conhecer o Memorial dos Povos Indígenas (mas estava fechado) e passeamos pela Praça dos Cristais.

Voltamos para a hospedagem exaustos depois de muito andar, tomamos banho e saímos para jantar no mesmo lugar que tínhamos almoçado e que adoramos, um restaurante chamado Traíra sem Espinha. Recomendo fortemente para quem for pra Brasília algum dia, a comida é muito boa e o lugar muito agradável.





SEGUNDO DIA


No segundo dia fomos conhecer mais pontos turísticos. Uma pena que na ocasião a Torre de TV estava fechada para reforma, então é mais um motivo para voltar lá e conhecer, haha. Mas fomos no Santuário Dom Bosco que é muito lindo por dentro, todas as paredes feitas de vitrais do chão ao teto.

Também fomos no Templo da Boa Vontade que é muito legal por dentro. Não entendo muito bem, mas tem uma espécie de caracol no chão no qual você anda por ele de fora para dentro e faz pedidos, e quando chega ao centro, você volta de dentro para fora agradecendo pelas coisas boas na sua vida, ou algo assim.




Fomos também no Espaço Cultural Renato Russo. Esperávamos uma espécie de museu, afinal ele veio de Brasília, mas não era o caso, só o lugar que levava o nome dele. Ainda assim toda a arte era bem bonita, valeu a pena para ver os grafites. Também demos uma passada no Templo Shin Budista da Terra Pura, como sempre para conhecer mesmo.

Ao final do dia, voltamos para a hospedagem para nos arrumarmos e de novo jantar no Traíra sem Espinha. Foi quando vi um dos pôr-do-sol mais lindos da minha vida e tenho as imagens para mostrar.




Eu amei demais conhecer Brasília nesses dois dias que ficamos por lá e voltaria com certeza, tanto para revisitar os lugares que já conheci, quanto conhecer outros novos. Depois dali nós fomos para Caldas Novas/GO, mas isso vai ficar para outro post!


Em Julho de 2019 , eu, minha mãe, meu tio e minha tia resolvemos fazer uma viagem de carro para conhecer Caldas Novas/GO. Porém, meu tio dis...


Poltronas ficaram conhecidas como uma espécie de sofá para apenas um usuário. Podem ser adaptadas para serem usadas em diversos ambientes como a sala de estar, escritório, varanda, teatros, cinemas, shows, tamanha sua versatilidade. Elas servem não apenas para compor, decorar e abrilhantar qualquer ambiente, mas também para garantir o extremo conforto de qualquer pessoa.

Soma-se a tudo isso a capacidade de fazê-la girar para qualquer lado, e terá um móvel extremamente útil, versátil e convidativo para deixar a vida ainda mais prática.

É sempre possível encontrar uma poltrona giratória perfeita para todos os tipos de ambientes, decorações, gostos e necessidades. Eu selecionei algumas aleatórias que mais chamaram a minha atenção no site da Atelier Clássico por diferentes motivos e que acabaram se tornando as minhas favoritas. Sem dúvidas seriam muito úteis e necessárias aqui em casa como um acento a mais para receber visitas.


__________



A Poltrona Giratória Augite é linda, clean, minimalista, o meu estilo favorito. Com esse design agradável, ela traz aconchego para qualquer ambiente. Os pés são uma base giratória de madeira de eucalipto reflorestado, e o estofado do assento e do encosto são feitos de espuma. E é possível customizar a pintura da madeira.



Essa Poltrona Giratória Berger Lisa combina muito com escritório e é extremamente confortável. A base de alumínio é giratória, reclinável e tem regulagem de altura. O estofado liso feito de espuma tem diversas opções de cores para escolher. Ela traz um ar de luxo, sofisticação e aconchego para o ambiente.



Se é luxo e requinte que você quer na decoração, a Poltrona Giratória Medalhão é uma ótima escolha. Ela é feita de madeira maciça com detalhes entalhados a mãos. A estofaria de capitonê tem espuma e também tem diversas opções de cores para customizar livremente. Lindíssima e bem imponente.



Outra opção minimalista e clean que eu tanto adoro é a Poltrona Giratória Talia. Totalmente customizável à gosto do cliente, desde a base giratória – pode escolher a cor da madeira – até o estofado acolchoado – diversas opções de tecidos e cores para escolher. Talvez seja a minha favorita!



Buscando uma peça que fosse de madeira maciça e levemente rústico, acabei me encantando com a Poltrona Giratória Retrô. Tem acabamentos muito bem trabalhados, regulagem de altura, reclinável, opções de escolha do tecido do assento feito com espuma. Não tem como não ficar admirado com essa peça.




__________

E no site da Atelier Clássico tem diversas opções de poltronas giratórias para todos os gostos, vale muito a pena dar uma olhada no catálogo, não tem como sair de lá sem se apaixonar por alguma que seja.






* Publieditorial | * Fotos dos móveis: Divulgação/Atelier Clássico

Poltronas ficaram conhecidas como uma espécie de sofá para apenas um usuário. Podem ser adaptadas para serem usadas em diversos ambientes c...


O meu mês de junho começou com um ensaio fotográfico que eu fiz com a Bag Moreno. Ela é uma fotógrafa que eu acompanho há alguns anos, sempre admirei o trabalho dela e era um sonho fotografar com ela, e eis que veio essa oportunidade. Ainda quero fazer um post aqui no blog mostrando melhor como ficaram as fotos, mas já adianto que fiquei muito feliz!

Ainda sigo no meu projeto pessoal de assistir aos Vencedores do Oscar de Melhor Filme, então resolvi assinar temporariamente o Cinema Livre onde dá para encontrar mais facilmente todos esses filmes antigos. Confesso que está sendo uma experiência única que eu não imaginava.

Nesse mês eu e minha família fizemos um bate-e-volta para Campos do Jordão e foi um passeio maravilhoso, já estou querendo muito voltar para conhecer lugares novos por lá que ainda não fui. Fiz um post: Curtindo o friozinho de Campos do Jordão/SP.


Cancelei o Starzplay porque já tinha assistido tudo o que eu queria de lá (e porque eu achei erroneamente que a nova temporada de Outlander iria para lá, a emissora oficial dele, mas não rolou). Porém recomendo The Great e The Act que tem lá.

Também pretendia cancelar o Kindle Unlimited após o término da promoção de 6 meses por apenas $9,90 que assinei em dezembro do ano passado, mas daí para não me perder a Amazon me veio com outra promoção: 3 meses por apenas $1,99. Achei tudo, haha, daí assinei.

E rolou uma noite de fondue de queijo e de chocolate aqui em casa. Amo demais!


Entretenimento


LIVROS: Eu li Anne de Green Gable, da Lucy Maud Montgomery, que é o primeiro livro dessa série, e me apaixonei perdidamente. A história é muito querida, muito fofa. Já quero ler os próximos.

FILMES: Assisti alguns filmes antigos, mas um que poderia citar que achei legalzinho é Cavalgada (1933).

SÉRIES: Assisti a 6ª temporada de Outlander e a 4ª temporada de Stranger Things.

JOGOS: Ainda jogando Euro Truck Simulator 2 (amo!) e voltei a jogar The Sims 4 para matar a saudade, agora que (finalmente) tenho um computador novo que roda ele.

E isso é tudo do mês!


O meu mês de junho começou com um ensaio fotográfico que eu fiz com a Bag Moreno . Ela é uma fotógrafa que eu acompanho há alguns anos, semp...