Conversas sinceras que precisam acontecer

28.1.22 Renata Carvalho 6 Comments


Eu tenho a mania muito errada de guardar para mim mesma quando algo me incomoda. São diversos os motivos que me levam a agir assim, mas um deles é porque eu não quero magoar alguém contanto que essa pessoa fez ou falou algo que me deixou triste. Sei que não faz sentido nenhum, mas é o que eu faço, ou melhor, não faço e nem falo nada, simplesmente fico triste em silêncio.

Mas eu também tenho o meu limite, por mais que eu lute muito pra aguentar e não chegar a esse ponto. E pra chegar a ele, é porque eu lutei com todas as minhas forças, e por muito tempo, pra tentar relevar e deixar pra lá, fingir que aquilo não me incomoda, mas nem sempre consigo me enganar.

Na semana passada eu finalmente criei coragem e resolvi me abrir, falar sinceramente com uma pessoa próxima a mim que eu gostava muito, porém que pisou na bola e vinha me fazendo muito mal há muito tempo com as atitudes dela. Eu relevei esse tempo todo porque eu tentava não ligar e deixar pra lá, mas a verdade é que eu só estava me enganando porque não queria perder essa pessoa, então acabei finalmente falando toda a verdade do que eu vinha sentindo.

Eu queria cortar contato com essa pessoa porque eu sabia que ele não iria mudar e não valia a pena pra mim continuar daquele jeito. Eu queria que nos afastássemos para eu conseguir me desapegar dele e conseguir ficar bem de novo, mas essa pessoa entrou em um estado profundo de negação. Ele reconheceu que errou e me pediu pra não cortar contato porque não queria me perder, mas que não poderia de fato mudar aquilo que me magoava (como eu já imaginava).

Foi uma conversa muito longa em que nós dois fomos sinceros. Gostamos muito um do outro há muitos anos, sempre nos demos muito bem, somos muito amigos, e sei que peguei ele de surpresa porque até então eu não tinha me aberto com o que vinha acontecendo. Foi muito difícil mesmo porque nenhum de nós queria aquilo, mas eu sabia que seria a coisa certa a se fazer, pelo meu próprio bem.

No final das contas eu resolvi dar mais uma chance porque ele me pediu e também porque não seria justo com ele eu simplesmente chegar do nada tacando aquela bomba de informações e depois vazar, sendo que até então eu não tinha sido sincera com ele com relação ao que vinha acontecendo.

Infelizmente eu não tenho muitas esperanças de que eu vá conseguir superar aquilo porque ele falou que acha que não tem como mudar, mas o fato é que ele não queria me perder em hipótese alguma, e por isso concordou (não que tivesse muita escolha) de nos afastarmos, pararmos de nos ver e nos falar por um tempo, de modo que eu possa descobrir se com o tempo eu consiga me sentir melhor estando longe dele, ou se aquilo vai continuar me atormentando, e por isso o melhor seria cortarmos contato definitivamente.

Eu queria ser alguém que estivesse por fora dessa questão toda, de modo que pudesse falar tão facilmente “termina se ele não te faz bem”, e eu realmente queria que fosse tão simples assim.

Enfim, eu realmente acredito que o tempo cura todas as feridas, ou pelo menos nos ensina a conviver com ela, e é com isso que eu estou contando. Vou dar tempo ao tempo.

Nota: Esse foi um texto que escrevi quando a conversa toda tinha acabado de acontecer e ainda estava um pouco chateada, mas agora já estou me sentindo bem melhor, mais leve e aliviada por finalmente ter colocado tudo pra fora. Obrigada a quem tiver se preocupado, mas estou bem!


Eu tenho a mania muito errada de guardar para mim mesma quando algo me incomoda. São diversos os motivos que me levam a agir assim, mas um d...

6 comentários:

  1. Oi Renata!
    Isso é um problema por aqui também, mas no fundo a gente tem que começar a se colocar pra evitar que as situações saiam do controle.

    Espero que as coisas fiquem bem por aí. Sua atitude foi importante e corajosa. Logo tudo vai se ajeitar e você vai ver que o melhor é falar sobre o que incomoda.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Aline. Hoje já estou me sentindo melhor e com a consciência mais tranquila por finalmente ter feito o que era certo, que é falar sobre o que incomoda. Foi duro o caminho até aqui, mas não tem outro jeito, preciso enfrentar e passar por isso, estou nesse aprendizado.

      Beijão!

      Excluir
  2. Oi Renata, acho que você foi muito corajosa e fez muitíssimo bem. A gente tem que aprender a não sofrer calada, a colocar para fora os nossos sentimentos e os nossos desejos. Tenho certeza que foi para o melhor. Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De coração, obrigada Camila. É um pouco tranquilizante saber que fiz a coisa certa, independente do quão difícil aquilo seja, e já estou me sentindo aliviada agora que passou. Eu espero conseguir tomar essa atitude mais vezes daqui pra frente, se for necessário, porque é horrível ficar guardando pra si.

      Um beijo!

      Excluir
  3. É uma situação muito delicada, acho importante a gente refletir ao que está nos fazendo mal. Eu também sou uma pessoa que guarda um pouco pra mim e acabo não falando o que me incomoda na hora, mas aos poucos fui aprendendo a me expressar melhor e dizer quando algo está me deixando inquieta. Espero que essa situação se resolva da melhor forma possível e já fico feliz que esteja se sentindo melhor e mais leve depois de tudo isso que ocorreu.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também estou nesse aprendizado, Dai. Do mesmo jeito que eu gostaria que viessem me falar se eu tivesse feito/falado algo que incomodou alguém (pra que eu pudesse pedir desculpas e me corrigir), eu também preciso aprender a FALAR, pelo bem de todos os envolvidos (o meu e o do outro).
      Eu espero que a conversa que tivemos e o alívio que senti depois sejam incentivos pra eu começar a me abrir mais daqui pra frente.

      Beijos!

      Excluir

Obrigada pela visita! Não esqueça de deixar seu blog quando comentar para eu retribuir ♥