TCC de RTVI: Pré-Produção [1/5]

1.11.21 Renata Carvalho 2 Comments



Em novembro de 2021 completa 5 anos que eu apresentei o meu TCC do curso de Rádio, TV e Internet (RTVI) na Universidade Cruzeiro do Sul (SP) e fui aprovada. Sem dúvidas foi uma fase da minha vida muito marcante, exaustiva e recompensadora e que eu notei que nunca falei sobre isso aqui no blog.

Sendo assim, resolvi fazer aqui uma série de 5 posts contando um pouco sobre como foi fazer cada etapa até chegar no resultado final. Então senta que lá vem história porque eu gosto de contar tudo bem detalhadamente, haha (isso porque eu tentei resumir ao máximo).

__________

A formação do grupo

Renata Carvalho, Eduardo da Silva, Tawane Pelosi, Beatriz Alves, Juliane Ferreira e Vitor Xavier

O ano era 2016. O último ano do meu curso de Rádio, TV e Internet com duração de quatro anos, então o ano do meu Trabalho de Conclusão de Curso.

Na minha faculdade era permitido os alunos escolherem fazer o TCC em grupo, em trio, em dupla ou mesmo sozinho. Desde sempre eu sabia que queria fazer o TCC em grupo, então me juntei e outros cinco colegas com quem eu já vinha mesmo fazendo todos os trabalhos da faculdade juntos, já conhecia eles e sabia como cada um trabalhava, éramos amigos. E assim, a nossa produtora (como eram chamados os grupos desse curso) passou a se chamar Cineart Produções.

__________

A escolha do projeto




Para o TCC desse curso, nós tínhamos que escolher fazer algum projeto audiovisual de verdade (um programa de televisão, programa de rádio, podcast, documentário, telefilme, websérie, radionovela, etc.), além da própria monografia explicando aquele projeto.

No início nós estávamos muito indecisos sobre o que fazer de TCC. Todo mundo dava várias ideias, baseadas nos gostos pessoais (um propôs algo relacionado a culinária, outro a moda, outra a cultura pop), mas que não chegavam a agradar todos os seis integrantes do grupo.



Um belo dia eu cansei e perguntei para eles “Qual tema nós todos gostamos? Qual assunto chama a atenção de todo mundo?”, e um dos colegas falou brincando bem alto: “SEXO!”. Primeiro nós todos rimos muito daquilo tudo, foi engraçado aquele momento, hahaha. Porém, passado o riso, a gente começou de verdade a pensar sobre isso e, de repente, nos encaramos com um brilho no olhar e perguntamos “Por que a gente não faz um programa de TV sobre sexo?”.

Foi ao mesmo tempo que todos nós nos empolgamos com esse tema e as ideias já começaram a fervilhar. Também conversamos com nosso orientador que curtiu bastante nossa ideia. E assim senti um grande alívio com o projeto finalmente decidido.

__________

O roteiro

Fui a Roteirista do programa

Criar um programa de TV do zero não é fácil, eram muitos detalhes que nós tínhamos que pensar. Estávamos sempre fazendo várias reuniões na faculdade para conversar sobre tudo, dar sugestões e ideias para serem aprovadas ou não por todo o grupo.

Eu era a responsável pelo roteiro do programa, já que de todo o grupo, eu era a que mais levava jeito com as palavras, os textos. Então nas reuniões, eu estava sempre anotando todas as ideias quem eram aprovadas por todos, e depois quando chegava em casa, escrevia o roteiro com todas as falas da apresentadora, descrevia aonde ela deveria estar e o que devia fazer, os momentos em que entrariam as vinhetas, a hora que algum convidado deveria falar, as perguntas que deveriam ser lidas e respondidas, etc.

Gravação no Parque da Independência (Set. 2016, São Paulo/SP)

Claro que eu fazia uma intensa pesquisa sobre o assunto, selecionava curiosidades e perguntas legais e interessantes para serem respondidas e debatidas no programa. Eu não queria colocar informação errada, então pesquisei e estudei muito mesmo, afinal o programa não seria apenas de entretenimento, mas de informação também.

Também fazia questão do meu grupo ler tudo o que eu escrevia para que eles pudessem dar suas opiniões, sugerir coisas, alterar, acrescentar ou tirar o que fosse necessário. Eu estava disposta a reescrever tudo o que fosse alterado quantas vezes fosse necessário, afinal não era porque eu estava escrevendo o roteiro que ele era meu, ele era nosso.

__________

O planejamento das gravações

Equipe e elenco para a gravação do quadro "Comendo bem, que mal tem?"

Demoramos muito tempo também para conseguir fechar com muita gente para as gravações do programa, e não foi nada fácil porque seriam muitos os envolvidos, cada um com uma disponibilidade diferente, e cabia a nós do grupo nos encaixarmos nos dias e horários que cada um podia participar.

Tínhamos que definir o elenco do programa (apresentadores e convidados), o cachê desse elenco, as locações para as gravações, um presente para o dono da locação (se tiver saído de graça), levar autorização do uso de imagem, voz e espaço para todos eles assinarem, pagar o transporte de todos de ida e volta, preparar e levar alimentação para todos, alugar com antecedência os equipamentos da faculdade para a gravação (câmera, iluminação, tripé, captação de áudio, etc.).

Eram tantos detalhes pra pensar que deixavam a gente louco, uma pilha de nervos e extremamente preocupados para que tudo desse certo no dia da gravação. Nós procurávamos sair cedo de casa para não atrasar e fazíamos um check-list com tudo o que deveria ser levado, mas mesmo assim sempre tinha uma coisa ou outra que esquecíamos, mas daí era na base do improviso que a gente se virava, haha.

Final do dia de gravações

__________

A Pré-Produção (decisão do projeto, pesquisa, conteúdo, roteiro, definição do elenco e das locações, reserva de equipamentos) começou em fevereiro e foi até agosto de 2016.

♦ TCC de RTVI:
1/5: Pré-Produção


Em novembro de 2021 completa 5 anos que eu apresentei o meu TCC do curso de Rádio, TV e Internet  (RTVI) na Universidade Cruzeiro do Sul (S...

2 comentários:

  1. Que legal, Renata! Adoro conhecer esses processos de criação. É muito importante que as pessoas saibam o trabalho que dá e o tempo que leva para chegar ao produto final. Adorei que você está compartilhando esse processo com a gente. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaahh adoro receber esse tipo de comentários, hahah, que bommm que gostou, Alessandra! *-*
      Pois é, aprendi muito na faculdade desse curso, inclusive o trabalhão que dá criar esses projetos audiovisuais, não é fácil mesmo, mas também é muito prazeroso quando é o que vc curte.

      Beeeijos!

      Excluir